quinta-feira, 3 de maio de 2018

Ser mãe


Ser mãe tem suas loucuras...
Tem dias que piramos, literalmente.
Queremos fugir.
Mas em instantes estamos voltando.


Tem dias que pensamos não haver escolha melhor
E neste dia pensamos que somos heroínas.
Nestes mesmos dias cansamos
E nos sentimos um nada para nada.

Ser mãe tem seus amores...
Somos beijadas e amadas inocentemente
Somos heroínas aos olhos dos pequenos 
(e dos grandes)

Tem dias que achamos que estamos erradas
e neste dia tentamos mudar
Tem dias que temos a convicção de estarmos certas
e neste mesmo dia tentamos melhorar

Ser mãe é cosntante evolução
De mulher
De ser humano
De mãe...

Ser mãe, é olhar para uma foto e fazer careta
é chorar no chuveiro
ou no travesseiro.

Mas mais que tudo,
ser mãe é AMOR.

Sem medida, 
sem formas,
sem explicação.

Sem mãe é

ser entrega, ser doação.

Doar-se por inteira. 

E se pudesse escolher todas as dores novamente?

Eu ainda escolheria: SER MÃE!


Bruna Francine Bronzato
Advogada, mãe de casal

Não esqueçam de seguir nas redes sociais: 
meu instagran pessoal @drabrunabronzato onde mostro mais a maternidade e minha vida pessoal mesmo, e também no instagran do escritório @bronzatoadvocacia onde além de dicas e motivações diárias, também podem  acompanhar minha rotina, e como tenho lidado com o início de carreira e um bebê de 7 meses me acompanhando em tudo, rsrs.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

O que de fato é viver uma maternidade consciente?

Um tema que está na moda hoje em dia, não é mesmo?
Várias são as # usadas com o tema. Muitos são os blogs que falam sobre e nos ensinam a ser mães e a ter uma maternidade assim.

Mas qual é exatamente a regra? O que exatamente é ter uma maternidade consciente?

Me questiono todos os dias se buscar os melhores caminhos realmente estão me levando aos melhores caminhos, porque as vezes, é muito mais que fazer o certo. Não podemos fechar nosso mundo no pós maternidade apenas ali, temos um mundo inteiro para viver, nossos filhos tem, e precisamos ensinar isso a eles. Precisamos ser maleáveis, entender, compreender.

Regras podem ser seguidas, desde que não nos aprisionem como mães e mulher.

Sempre acreditei que a melhor escolha é aquela que vem do coração.

E a verdadeira consciência de uma mãe sempre deverá vim daí. De nada adianta todo conhecimento, se não houver amor, compreensão, não só com o filho, mas com a sociedade em que ele está inserido.

Já parou para pensar que seu filho não será sempre seu?

Continuamos criando filhos para o mundo, e precisamos pensar que nossa escolha consciente é o que fará diferença em um mundo melhor.

A forma que você escolheu, seja lá qual for, está tornando um ser humano melhor para o mundo?

Se sim, continue!

Coração de mãe nunca se engana. Repito: a verdadeira consciência maternal vem do coração.



Grandes beijos!

Não esqueçam de seguir nas redes sociais: meu instagran pessoal @drabrunabronzato onde mostro mais a maternidade e minha vida pessoal mesmo, e também no instagran do escritório @bronzatoadvocacia onde além de dicas e motivações diárias, também podem  acompanhar minha rotina, e como tenho lidado com o início de carreira e um bebê de 7 meses me acompanhando em tudo, rsrs.

terça-feira, 24 de abril de 2018

Agora que sou Advogada

Eu sempre achei que as coisas melhorariam, sempre lutei por isso.


Quem me acompanha desde o início sabe a luta que foi conciliar maternidade, faculdade, trabalho e depois estágio.

Eu poderia ter escolhido um caminho mais fácil, mas sou teimosa, acredito no potencial que tenho de fazar grandes/todas as coisas, então levantei a cabeça, mesmo tendo vontade de desistir muitas vezes.

Lutei, chorei, sofri, sorri. E se valeu a pena no final?

Olha, eu não sabia que o início de carreira seria ainda mais desafiador, intenso e dolorido rsrs.

Mas valeu muito a pena, e mesmo nas dificuldades continua valendo. Porque agora, cada dificuldade vem para melhorar ainda mais. Hoje tenho algo, sou alguém. Sou mãe de dois. Sou advogada!

Posso seguir um longo caminho, mas cada dia será melhor e terei cada vez mais orgulho de mim.

Mas o que muda tanto assim do dia para a noite? O que muda apenas por receber uma identidade vermelha?

Não sei dizer, mas o sacrífio para tê-la, faz tudo ser lindo, mesmo que difícil, continua sendo mágico.

Querem acompanhar minha rotina doida (já ouviram dizer como é doida a vida de um advogado né?) e como concilio tudo isso com a maternidade?

Prometo tentar postar aqui, mas para garantir que verão tudo sigam no meu instagran pessoal @drabrunabronzato onde mostro mais a maternidade e minha vida pessoal mesmo, e também no instagran do escritório @bronzatoadvocacia onde além de dicas e motivações diárias, também podem  acompanhar minha rotina, e como tenho lidado com o início de carreira e um bebê de 7 meses me acompanhando em tudo, rsrs.

Mas antes de tudo, quero agradecer imensamente a cada uma de vocês que fazem parte da minha história, da minha construção, como mulher, como mãe, como profissional.

Cada recado, cada comentário, cada e-mail... Vocês são especiais e minha inspiração pra ir muito além!





Grandes beijos, 

com muito carinho.


Bruna Francine Bronzato
Advogada, mãe de casal.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Cantinho da calma

Toda casa precisa de um cantinho que a família vai para ler, respirar, se acalmar...

Já viram essa ideia? Compartilho com vocês nosso cantinho super simples e improvisado mas que já nos traz bastante tranquilidade...

sexta-feira, 16 de março de 2018

Identificando os sentimentos

Ah! os sentimentos! São tantos e parecem tão complicados!
Criança é feliz de natureza, ela sempre está feliz por isso é tão fácil para elas voltarem a brincar, se relacionar com os outros, perdoar e amar.

Continuação dos tutoriais...Como lavar louça?

Gêmeas estão com 4 anos e com eles achamos legal começar colocar algumas responsabilidades, de acordo com a capacidade delas.
A Nicole que vai fazer 6 estamos acrescentando outras.

Como tomar banho? um tutorial...

Todo dia, todo dia é uma luta na hora do banho. Nicole está com quase 6 anos e já começamos deixar ela tomar banho sozinha.
À direita temos tomar banho lavando o cabelo e à esquerda sem lavar o cabelo.
Mas era sempre a mesma coisa, um banho de 30 min com a água ligada e ainda esquecia algumas coisas.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Gestante e Lactante podem tomar cerveja?

Gente, que polêmica né? Vi a foto de uma mãe amamentando ao mesmo tempo que bebia e os comentários às vezes foram bem cruéis.

Apesar das pesquisas e demonstrações de que mesmo em coma alcoólico o bebe só receberia 0,04% de álcool pelo leite, ainda há quem reprima fortemente.

Contudo, acredito que cada mãe sabe das melhores escolhas e dos hábitos que tem, não podemos nos privar de ser quem somos por causa da maternidade, já expliquei nesse post AQUI sobre o que "passa" ou não para o leite e porquê. Vale a leitura.

Quanto à bebida alcoólica, o tema vai além, ele enquadra-se em um contexto social, onde a mãe é vista como total responsável pelos filhos e onde ela deve abdicar-se de SER para SERVIR.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Escrevendo para os filhos inspirando-se em @papaiterapia

No post Se eu cheguei até aqui porque vou desistir eu me questionava sobre como consegui e o porque da existencia do blog, comecei o texto assim: "Esses dias estava me perguntando o tempo todo sobre isso. Foi, inclusive, muito difícil sentar e escrever; porém foi escrevendo que sempre encontrei as respostas que precisava. Colocar pra fora nos faz entender o que exatamente estamos sentindo." E realmente o escrever me ajuda a me entender como mãe (e a melhorar) e de cara ajudo outras mães que se veêm na minha situação.
Fiquei muito feliz quando encontrei um PAI com uma linda proposta para sua esperada filha: escrever todos os dias para ela. E ele compartilha no instagran @papaiterapia os textos que escreve para sua filinha.

Vou deixar um dos lindos posts para as em e papais em espera possam se inspirar e quem sabe começar a escrever também! <3

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Câncer de Mama na Gestação

Tema triste e mais comum do que imaginamos. Não paramos para pensar nele até acontecer com alguém próximo ou conosco, não é mesmo?
Mas não precisamos esperar acontecer para nos sensibilizarmos com os outros. 
Esse tema surgiu quando uma amiga postou nas redes sociais o tema do TCC apresentado para conclusão do curso de Enfermagem: "ENFRENTAMENTO DA GESTANTE COM O DIAGNÓSTICO DO CANCER DE MAMA" - escrito por Raiane Suellen Leão.

O que me chamou atenção foi o abordamento psicológico além dos tratamentos médicos. Neste post vamos demosntrar um pouco da forma como ela quis ajudar as gestantes, que infelizmente, passam pela situação.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Amizades virtuais na maternidade

Meus pais morriam de medo dessas amizades. Para eles era fazer amizades com pedófilos/assassinos/ladrão se fingindo de pessoas boas. Claro que isso acontece, e muito! Pessoas fingindo ser quem não é. Mas no meio desse bolo existem pessoas maravilhosas e verdadeiras, que fazem aquela amizade durar para o resto da vida mesmo sem ter se visto uma única vez.

sábado, 27 de janeiro de 2018

A emoção da mãe e a emoção do pai

Cada um reage a sua maneira. Além de termos nosso gênero(homem/mulher) influenciando nossas escolhas e sentimentos, também temos histórias de vida, personalidade, compreensões diferentes sobre o mundo.

Há muito conflito aqui em casa por causa disso, cada um sente o mesmo sentimento à sua maneira que as vezes fica incompreensível para o outro.

Contextualizando:

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Ensine-os a amar os animais

Há diversar maneiras de educar um ser humano para amar o mundo, e uma delas é ensinando a amar os animais e a natureza, pois quando aprendem a amá-los aprendem a amar o mundo e fazem o melhor por ele.
Seja qual for sua opinião, animais dentro ou fora de casa, grandes ou pequenos, com apego a bebês ou não, apenas os ensinem a amar e respeitar aqueles que o ama e o respeitam. E assim estarás criando um ser humano digno de um mundo bom e que terá uma visão mais leve e cheia de amor para passar para aqueles que trilharem seus caminhos.

Nossa missão como mães (jovens ou não) é construir um ser humano cheio de luz e se assim o fizermos teremos contribuído para um mundo melhor.

Ensine-os a amá-los >3


Essa é a nossa Malu


Além do carinhos pelos nossos animais (temos duas cachorras), ela tem um imenso apego pela gata da minha mãe, pelo coelho da tia Camila e por qualquer animalzinho que encontre por aí <3

Essa gatinha estava para adoção <3


quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Via de Nascimento x Parto

Sempre vejo polêmicas do tipo: Cesárea x Parto Normal.
Ocorre que os problemas de nomenclatura fazem algumas mulheres acharem que por terem tido cesariana são desmeceridas em relação ao nascimento do filho.
Porém, o correto a se dizer é via de Nascimento: normal ou Cesárea?
Já que na nomenclatura médica via vaginal é parto, cesariana é cirurgia. Independente de eletiva ou de emergência continua sendo uma cirurgia (do ponto de vista médico).
Isso não faz nenhuma mulher menos mãe. Eu gostaria, de coração, que essa discussão nem existisse.
Não há mal nenhum em ter uma via de nascimento por parto ou cirurgia, por escolha ou não.  Mas saber a diferença de cada um deles, evita constrangimentos pessoais desnecessários.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

O que não te contam sobre a amamentação exclusiva

Quatro meses de amamentação exclusiva e me sinto a mulher mais realizada do mundo!

Eu não sabia como poderia ser capaz! Não imaginava o quanto isso me fortaleceria, mesmo sendo super exaustivo... é como se fizéssemos uma boa caminhada a cada vez que amamentamos. Tem o desgaste físico e até mesmo emocional.

Passamos por uma crise aos três meses (vou fazer um post explicando como superamos) que foi intensa, tinha dias que eu tinha muita vontade de chorar enquanto amamentava.

domingo, 21 de janeiro de 2018

Bodas de Amamentação

Sim, existe! Ahaha

Eu descobri procurando imagens na internet um dia desses e achei o máximo.

Aqui estamos nas "Tetas de Rubi com mamilos de Diamantes" e por aí? Até quanto tempo amamentaram? Como foi a experiência?

domingo, 14 de janeiro de 2018

A louca conexão de gêmeos

Gêmeos é uma coisa muito louca.
Se uma ta machucada a outra quer ficar também, finge, chora, até se machuca de propósito para ganhar atenção. Porém nas tretas elas se resolvem sozinhas, raramente preciso intervir, até quando uma machuca a outra elas se resolvem.
Mas uma coisa que não falha desde que nasceram e não é de propósito, é xixi e cocô. Ontem no shopping Alice quis ir ao banheiro fazer numero 2. Foi com a vó e Livia ficou comigo toda feliz na loja. Deu um aperto na menina! Ela quase não conseguiu segurar tadinha! kkkk

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Mais uma vez: não deixe de ser mulher para ser mãe


Todo mundo vê como difícil fazer as coisas para si além da maternidade (sim, não é fácil). Mas também não sobra tempo de focar em decepção e tristeza.  O segredo é viver cada coisa na sua hora.Agora vou sentar estudar? Blz, vou estudar. Bebê acordou? Ótimo,  para aqui, depois volta quando der e vamos curtir o bebê. .. e assim vai. 

O puerperio mesmo, qual a maior dificuldade e tristeza que ele nos dá? É quando a gente sente que a mulher sumiu, só somos mães agora e temos só isso pra pensar. Precisamos lembrar: eu não sou só mãe.  Nossa vida não deve parar porque os filhos nasceram.


Porém nem tudo é só flores o tempo todo, e quando nos decidimos entregar-se a maternidade é inevitável que nos sufoquemos e esqueçamos um pouco de nós, com isso, esses dias eu estava acompanhando blog de beleza Beleza Testada atráves do instagran @belezatestadaoficial e parei pra pensar que sempre incentivo às mães a nunca esquecerem de si mesmas, e acabei percebendo que às vezes, esse conselho é para mim. Eu mesma precisava me cuidar e me amar mais, como sempre fiz e incentivei.

Lembre sempre: antes da mãe existe a mulher, e ela precisa estar bem consigo mesma para estar bem com os filhos em sua melhor forma!

Você merece se amar, merece se cuidar, merece dar espaço à mulher que há em você!




💛 @belezatestadaoficial obrigada por ser inspiração e por fazer parte desse crescimento pessoal 💛






Sigam nas redes sociais:
Facebook - Jovens Mães
Instagran - @jovensmaesblog pessoal @bruna_bronzato

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Educar é um trabalho de formiguinha

Tem vez que nós pensamos que não vamos conseguir, que aquele aprendizado não vai ser colocado em prática. Parece que falamos com as paredes, que ninguém nos ouve.

Embora a paternidade ativa esteja surgindo com maior aderência ainda temos, nós mães como maioria e maior responsabilidade na educação dos nossos filhos. 

E sentimos que estamos carregando um fardo pesado demais para nossa capacidade...mas...quando menos esperamos nós chegamos ao nosso destino e é maravilhoso.

Vou contar para vocês de onde surgiu essa minha vontade de escrever sobre esse assunto:

Aqui em casa somos cristãos. Apesar disso, não digo que antigamente era melhor, pois cada época tinha sua dificuldade e a idade que estávamos e emoções que sentíamos em cada época afeta nossa perspectiva. Mas nos dias de hoje é mais complicado seguirmos os valores de Cristo quando quase ninguém segue. 

Quase todo mundo usa da mentira para subir de cargo, honestidade é visto como fraqueza, somos orgulhosos, não perdoamos.

E fica difícil educar os filhos para serem bons, amáveis, honestos, sinceros, quando quase ninguém no mundo é, inclusive nós pais.

Então... as briguinhas de irmãos, a competitividade, disputa por atenção, manipulações para ser amado e admirado, construção de autoconfiança, auto estima, amor próprio... está cada vez mais difícil de ensinar.

O mundo está globalizado, não basta mais o exemplo dos pais e da família. 

Nicole está para fazer 6 anos agora em Março. Ela sempre foi uma menina muito preocupada com a própria imagem, que roupa vestir, combinar cores, o que as colegas vão pensar, isso desde sempre. Amava colares, pulseiras, pintar unha, maquiagem.

Veja, eu não uso nada do que ela gostava, nem incentivo a gostar, mas ela gostava. Meu marido se incomodava com isso, temia que ela fosse vaidosa (no sentido de excesso) quando crescesse "Se ela é assim agora, imagina quando crescer!".

Eu já tinha uma visão diferente, de que com amor colocaríamos nela o que realmente Deus requer, não apenas dizer " Deus não gosta" "Isso é vaidade".

Além da nossa crença tem outras questões com relação a isso. Tem mulheres que não tem liberdade com o seu eu natural, como se ninguém a fosse respeitar sem maquiagem/pinturas e isso é extremamente prejudicial, como se a imagem determinasse valor.

Propus então que valorizássemos ela pelas qualidades que ela tinha e pelo natural dela. Invertendo os discursos. De "que linda você é" para "que incrível você é". " Você ficou linda com as unhas pintadas, mas a cor que Deus as pintou também é muito linda, olha só que rosinha lindo". 

E parecia que nunca ia ter resultado, ela sempre se dizia que era feia, que aquela roupa a deixava feia, que as colegas iam ou não iam gostar. Foram meses de trabalho diário e muito mais que uma vez por dia. 
Até que num dia ela não quis pintar as unhas, disse que o rosinha natural era lindo, não quis mais batom, nem se importou mais com a opinião das colegas. 

Ela ainda pinta de vez em quando, brincamos com maquiagem, pintura no rosto, vestimos roupas lindas mas ela entendeu que a imagem dela é apenas um adereço, o que importa mesmo são nossas qualidades.💓
Nicole é a da direita, nessa foto ela estava muito brava, porque estava feia.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Feliz quatro anos pra nós, filha

Seus quatro anos...


Muito significativo para mim, ano que comemoramos seu aniversário sabendo que poderemos estar muito mais tempo juntas, que valeu o esforço dos intensos anos da faculdade, que essas férias não terão um fim, mesmo que mamãe ingresse em uma pós ou até mesmo em um mestrado um dia, não será mais a mesma dificuldade. Agora teremos tempo de sentar e contar o dia uma para a outra quando chegarmos em casa. Poderemos fazer a oração de dormir juntas e contar histórias (primeiro eu e depois você à sua maneira), esperar você adormecer (ou adormecer primeiro rsrs) e acordar no dia seguinte sabendo que ainda estaremos juntas ao fim do dia.
Esse aniversário é especial pois comemora o fim de uma longa jornada que traçamos juntas (você precisou de muita garra pra ficar tanto tempo longe da mamãe né?) e que valeu a pena agora no final. Como me orgulho de você estar feliz ao ver mamãe trabalhar, seus olhos brilham quando sento na frente do computador para digitar e vejo que estou cumprindo minha neta: ser motivo de orgulho para você! Prometo te dar muito mais! Assim como você me dá! 
Peço que Deus te dê muita saúde e continue abençoando com essa meiguice que te torna especial e que me faz uma pessoa melhor.
Quatro anos daquele dia intenso, cheio de medos (alguns traumas), incertezas e fé (ah! Se tem um momento que tive fé no impossível foi aquele dia (e nos seguintes) e a cada ano revivo os sentimentos, muitas vezes doloridos, mas você nasceu mostrando a força que tem e como o amor pode superar tudo! ❤️
Obrigada por ter me escolhido, obrigada pelos meus quatro anos de mae! Obrigada por ter me mostrado um novo mundo e por me ensinar a amá-lo sempre, apesar de tudo! 
O brilho dos seus olhos por cada pequena coisa e sua felicidade na simplicidade me faz ter certeza que sempre vale a pena!
Feliz quatro anos pra nós, Lara!

Te amo! ❤️ 



Quatro anos Alice e Lívia

Feliz aniversário minha gêmeas lindas!

Neste dia 6 de janeiro de 2018 vocês completaram 4 anos. Como pode um ser tão pequeno com tão pouca idade causar mudanças estrondosas na nossa vida?
Seus primeiros dois anos foram tão intensos que refletiu na minha saúde e do papai. Eu tive vários apagões de memória e muitas infecções naqueles dois anos. Papai não trabalhava direito e quase perdeu o emprego.
Nós praticamente nascemos de novo e muito melhor do que nós éramos antes. Vocês me tornaram uma mulher forte, paciente( quantos testes me fizeram heim?) tolerante, carinhosa. Eu fiz tantos questionamentos sobre minha vida que vocês não tem idéia. Sabe aquela a crises de identidade que temos na adolescência? Tive várias. Até minha memória de infância foi renovada.
As vezes eu me confundo tanto com vocês que sinto que não as conheço suficiente. Que temos que conversar mais, sairmos mais, juntas e separadas das irmãs.
E essa confusão... é até engraçado. " Eu não sou Alice mãe." Kkkkkk
Imagina eu, papai, vocês todas indo ao médico. Eu carregando bolsa de roupas, blusas se fazer frio, shorts se fazer calor, e um monte de papeizinhos escrito o que cada uma teve nos últimos 6 meses( não, não era quando vocês eram bebês, fiz isso há 2 meses) . E a dificuldade de se concentrar em apenas uma filha para falar da saúde?
"A Alice está muito bem, não comeu caca de nariz, já a Livia... não, ainda não é hora de falar da Livia"
Eu tentando lembrar/ler da saúde de vocês enquanto eu e papai/ vovó, tiramos e colocamos os tênis de vocês para pesarem na balança.
Sério, nós merecíamos uns 2 dias de atestado só pela confusão mental de ir ao médico com vocês. Kkkkk
Com os 4 anos chegando Lívia teve bastante dificuldade na criação da própria identidade. Te ajudamos, foi e está sendo lindo as suas tentativas e conquistas. Está se tornando uma garotinha incrível a qual tenho muito orgulho.
Alice cada vez mais se firma na sua identidade. Madura demais para sua idade. Responsável, meiga, dócil, mas na medida certa, se mecherem com você ou com quem você ama não queiram estar perto. Tenho muito orgulho de você filha.
Desejo que vocês cresçam em Cristo e que os valores cristãos te sigam por todo lugar. Sejam felizes, juntas e separadas. Vocês podem ser o que quiserem e estar onde desejarem.
Nós te amamos muito e desejamos TUDO TUDO TUDO de bom.
Beijão.


Por: Aline Viana


Sigam nas redes sociais:
Facebook - Jovens Mães
Instagran - @jovensmaesblog 
Youtube - Seis de Sete

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Ser mãe de dois e suas loucuras (4 meses de Lucca)

Ser mãe pela segunda vez é perceber que tudo o que você sabia sobre maternidade você não sabe mais. É dar-se conta que o ser humano é único em todas as suas fases e que nosso dever é cuidar deles de forma particular e não menos cheia de amor. Somos responáveis por criar seres humanos que poderão mudar o mundo, e no final, quem mudou o mundo fomos nós!

Aprender a amar novamente, a descobrir novamente o mundo (e continuar descobrindo atráves do mais velho), são pequenas coisas que nos fazem acreditar num potencial que nem sabíamos que erámos capazes de ter.
Hoje, aos quatro meses do Lucca, começo a entender como mudei e amadureci em tão pouco tempo, comecei a perceber o quanto amo a maternidade e como sou capaz de amar, eu não sabia que seria possível doar meu sono dessa forma (sono é muito importante pra mim kkk) sem me estressar (como me estresso com qualquer um que me acorde hehe), nem que eu seria capaz de ir tão longe e de buscar tantos desafios.

Não é nada fácil ser mãe de dois, tem horas que acho que não vou dar conta e que queria enfiar a cabeça num buraco e sumir, mas passa rápido ao ver tanto amor que emana dessa rotina doida. Lara sempre foi carinhosa e continua a ser com o irmão, às vezes rola um ciúme, claro, mas com paciência e amor estamos conseguindo superar.

Para 2018 a meta é aumentar o amor pelas coisas, pois foi por amor a tudo o que faço que consegui fazer muito mais.

Uma dia quero olhar para trás e perceber que valeu a pena!

Mas acredito que com amor, por mais cheio de obstáculos que seja o caminho, sempre valerá a pena no final.

E ao Lucca, obrigada por me ensinar a amar ainda mais (a mim mesma, ao mundo e ao você). Feliz quatro meses.










Sigam nas redes sociais:
Facebook - Jovens Mães
Instagran - @jovensmaesblog pessoal @bruna_bronzato

Destaque do dia

Ser mãe

Receba novas postagens por e-mail!

Posts Recentes

Já Curtiu Jovens Mães no Facebook?