quarta-feira, 26 de julho de 2017

📖❤Como sobreviver à maternidade(um guia prático e sobrevivencia de 0 a 5 anos) PARTE 2.❤📖

Continuação do post Como sobreviver à maternidade(um guia prático e sobrevivencia de 0 a 5 anos) PARTE 1.

12 a 24 meses:

O extremo da fofurisse, o primeiro aninho. Essa fase que andam meio bobinhos ainda, acham graça de tudo e começa soltar as primeiras palavrinhas. As vezes você pode pegá-los brincando sosinhos por alguns minutos e ficar lá na espreita morrendo de amores. Mas também é a fase de explorar tudo, o próprio corpo e o ambiente. Eles podem mecher no lixo, desenrolar todo papel higiênico, derrubar coisas no chão para ver o que acontece, testar o limite do amor dos pais, tentar entrar em lugares apertados e ficar presos, subir em cima de cadeira, cama, banco, tentam descer escadas, tombos são frequentes. É a fase que os pais passam por mini infartos diários! 

É a fase que se você ouvir um "TUM" mesmo que não esteja com seu filho seu coração gela achando que foi o filho que bateu a cabeça.

O cérebro está a mil aprendendo tudo que acontece ao seu redor e começam imitar os pais. Eles podem olhar para você, apontar o dedinho e dizer "NÃO" firme, assim como você faz com eles.
Se você tratá-los bem com muito amor será assim que eles tratarão os outros. Você irá se surpreender com a capacidade de amar o próximo que eles tem nessa fase, amar os animais, flores, irmãos, pedrinhas, bebês, bonecos e coisas que você nunca pensou que eles seriam carinhosos com elas, eles são.

Escada, desafio perfeito.
O que será que acontece que acaba tanto esses lenços?
Eles são autonomos mas não independentes, fazem bastante coisa sosinhos e precisam dos pais para bastante coisa também. Falam poucas palavras e por isso ainda choram bastante sempre que precisam de ajuda. E por explorarem muito o dia todo vão precisar de muita ajuda, ou seja, terá muito choro.

Sapatos ao contrário rs
A dica é deixar o ambiente fácil para explorarem, retirar objetos pontiagudos do alcance deles e não comprar um sofá ou conjunto de cadeira novos porque eles vão sujar! Deixe-os livre para aprender com os próprios erros, eles não são de vidro, machucados se curam rápido e as quedas ainda não são perigosas, o corpinho ainda é bem cartilaginoso, próprio para a idade das pequenas aventuras.

Na hora de comer deixem explorarem a comida, vão amassar com os dedinhos, derrubar no chão, mas essa fase passa rápido como a velocidade da luz, logo não sujarão mais a cozinha inteira na hora da refeição.
Comendo ou fazendo bagunça, ou os dois?

Os brinquedos ainda não cumprem sua função. Exemplo: Carrinho nem sempre será usado como carrinho, eles podem tentar desmontá-lo, mecher nas rodinhas, colocar em um buraco. Compre brinquedos dificeis de quebrar como os de madeira e evite deixar muitos brinquedos ao alcançe, eles vão bagunçar tudo e se irritar com toda aquela informação depois.

Leia muitos livros, com ilustrações e curtos, você vai se admirar com eles pegando os livros sosinhos, folheando e até lendo (na linguagem deles, claro!).

Não se pressionem! Para seu filho aprender a falar logo ou que a concentração dele é muito curta ou que não te obedece. Eles ainda são bebês, não entendem muita coisa e vivem no mundinho deles ainda. Se seu cérebro estivesse trabalhando tanto quanto os deles você provavelmente não prestaria atenção em muita coisa ao seu redor também. Eles não pirraçam nem fazem nada de propósito.

O lema é seguir as necessidades básicas: ALIMENTAÇÃO, SONO, HIGIENE e ORDEM. Tá com fome? tá com sono? ta sujinho? tá fora do ambiente de costume? Caso alguma dessas necessidades esteja comprometida, não espere do seu bebê nada além de choro e irritação. Se as quatro estiverem ok o bebê estará tranquilo. Isso vale até para nós adultos não é?

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Resenha da Lara: Esmalte Atena - Nati

Que mãe de menina nunca passou pela situação de: Mamãe, pinta minhas unhas?

Aqui passamos sempre, principalmente se ela estiver junto no momento que eu for fazer as minhas.. rsrs

Dessa vez resolvi deixar ela participar mais e comentar sobre o esmalte que ela escolheu (porque tinha que ser uma cor escura?)




Mas no fim gostei do resultado. Com apenas uma camada ficou mais clarinho, não ficou forte para ela.

Gostei da textura do esmalte, fácil de aplicar e é uma cor diferente das costumeiras. 



Marca:        Nati
Linha:   Mythos 
Cor:          Atena

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Lucca (31 semanas) - A realidade de ser mãe de dois e o amor pela maternidade


 Me dei conta que chegamos a 31 semanas e ainda não escrevi nada sobre a gestação, não fiz post sobre... é... segundo filho realmente as coisas mudam, rsrs.Não é a falta de importância, pelo contrário, damos mais importâncias as coisas realmente necessárias, aprendemos o que de fato vamos precisar ou não. Mas já temos uma criança para cuidar. Descobrimos que ser mãe de um é "fácil", começamos a temer ser mãe de dois, será que darei conta? Sim! Claro que darei. Eu amo ser mãe, amo ter filhos! Mas existe o medo de não conseguir ser completa para cada um deles, entendem? Cada um tem suas peculiaridades, cada um vai ter seus sonhos e seus medos. Precisamos nos dedicar a cada um especialmente. Sim, eu consigo. Sim, estou amando. É um novo mundo para conhecer agora: Um menino! Lara continua carinhosa e fofa como sempre foi.
Abri mão de trabalho e estou cuidando dela em tempo integral. Isso me fez conhecer-me interiormente ainda mais. Incrível como os filhos tem esse poder dentro da gente. 


Lucca mexe muito ❤ é um sentimento tão bom... Eu já o amo tanto! Mas tanto! 


Eu não sabia como seria possível, sempre ouço que amor de mãe aumenta e nunca duvidei. Mas sentir isso é incrível. É renovador, é inspirador.
Sim, eu falo como se a maternidade fosse linda, e apesar de toda a desromantização que fazem da maternidade hoje em dia (está na moda né?), eu continuo insistindo que ela é linda! Porque para mim ela é! Para mim é perfeita. 
Cansa? Sim! Muito! Tenho vontade de sumir? Sim, tenho (e de levar os filhos juntos, quando o motivo da fuga eram eles - frase clichê e real rsrs), mas nada paga as possibilidades que a maternidade me proporciona, o amor incrível que sou capaz de viver: é um amor diferente pelo mundo, uma visão que muda para melhor.


Amo sim ser mãe e amo cada detalhe da maternidade. Gosto de cuidar, eu gosto disso! Estou me amando com esse barrigão, me sinto linda, eu me permito viver cada momento! Talvez essa seja a diferença do que me faz amar a maternidade: não me prendo a padrões, não me prendo a regras, eu dou o meu melhor sempre, durmo quando ela dorme; choro escondido, mas choro; agradeço quando me fazem algo; deixo as coisas sujas de vez em quando; faço salsicha quando estou cansada; deixo dormir sem banho quando ela dorme as 18 horas, e isso tudo me dá disposição para fazer um almoço saudável no dia seguinte, dar um banho assim que acordar, sorrir depois de ter chorado no banheiro.

Permita-se ser mãe, ame sua essencia de mulher, ame o que você é capaz de fazer e ser. Mas NUNCA deixe de viver, nunca deixe de aproveitar os momentos. As vezes, não fazer tudo da melhor forma é a melhor forma de fazer as coisas.

Como sempre digo e enfatizo: Seja mãe, mas nunca deixe de ser mulher! 

E JAMAIS se cobre, por nada!



quinta-feira, 13 de julho de 2017

Meu Malvado Favorito 3 - Cinematerna


Quem aí esperou pelo lançamento do filme mais que as crianças!?!?! ☝☝☝


O ex-ator mirim e astro de TV, Balthazar Bratt, foi um típico malvado bem-sucedido nos anos 80 e agora está de volta à ativa. Ele vai aterrorizar a vida de Gru, Agnes, Margo, Edith, Dr. Nefario e os atrapalhados Minions. Em meio a tudo isso, Gru também vai encontrar o seu irmão gêmeo, Drew.
Data de lançamento29 de junho de 2017 (Brasil)




Como foi: Como Lara adora cinema (temos posts dos de mais lançamentos deste ano que fomos assistir - só clicar na página: FILMES) foi tranquilo, ela espera ansiosamente rsrs. Por isso só deixamos pra falar quase na hora: estamos indo ao cinema (senão ela passa o dia todo perguntando que horas é o filme kkk), pega a pipoquinha dela e assiste até acabar a pipoca, aí ela começa a narrar tudo o que está acontecendo no filme rsrs (ainda não perdeu essa mania kkk). Dessa vez ela só soltou alto uma vez, e foi na hora que estava o cinema todo em silêncio, claro. kkk Mas foi super divertido. Rimos demais. 
Ela adora o Gru!

Fotinha pré filme ❤


E por aí? Assistiram? Levaram as crianças? (A Aline teve sua experiência de ir ao cinema sozinha, depois ela conta qual a sensação rsrs).

Por aqui é tranquilo, como ela gosta, conseguimos assistir do começo ao fim, e rir muito com os Minions ❤❤
Só que está bem cansativo assitir a um filme no cinema (barrigão de 30 semanas incomoda um pouco ficar muito tempo em uma mesma posição), mas eu ri tanto que nem percebi... rsrs Vale a pena!
Ah! São os Minions né?! ❤

domingo, 9 de julho de 2017

Deixe as mães dizerem NÃO

"Mas tadinho, deixa ele brincar mais" 
(Quando você está tentando ir embora de algum lugar)

"Pode deixar ele comer" 
(Você já disse que para a criança que ela não vai comer aquilo)

"É só um docinho" 
(Você não dá doce para o filho)

"Não tem problema, depois eu arrumo, não precisa fazer ele guardar" 
(Quando você diz para seu filho guardar o que ele bagunçou antes de ir embora)




Por favor, quando uma mãe disser para o filho fazer isso ou aquilo, ou disser não, não tente SER GENTIL dizendo as coisas acima (você estará sendo tudo, menos gentil). Tudo que a mãe precisa é que o filho a obedeça sem birras, ela se esforça dia a dia para conseguir isso. E você estraga tudo (na inocencia, quase sempre) ao contrariá-la tentando ser "legal".
Mas você já parou para pensar que ela está certa? E que você ficar a contrariando (ou ao pai) na frente da criança pode estar atrapalhando a educação?

Você não quer isso, lógico que não. É perceptível o quanto as pessoas só estão tentando ser simpáticas e tentando evitar birras e choros. Mas você contrariar pode levar a um choro e a uma birra maior ainda, ou a mãe vai ceder e todo o trabalho que ela teve pra educar foi por água a baixo...

E a pior parte: você vai, sem querer, criticar aquela mãe depois porque ela não ensinou o filho a guardar os brinquedos antes de ir embora (ou aqueles outros exemplos que demos acima), não vai pedir desculpa para ela e muito menos contar o episódio para seja lá com quem você estiver comentando (ou que esteja comentando com você).

Só peço que reflitam sobre isso, e por favor, deixem que as mães digam não, as ajudem.

Ser gentil, simpático e legal é compreender que você também está fazendo parte da educação social de uma crinça; afinal, se você está passando por uma situação dessa é porque fazes parte do círculo social da criança, e essa obrigação (de um mundo melhor, de crianças educadas e etc...) não são só dos pais. Quando delegamos totalmente a eles, também estamos abrindo mão para quando precisarmos (e acreditem, uma hora ou outra sempre vamos precisar um dos outros). 

Sejam compreensíveis. Deixem ela dizer o não. 

Quer ser legal de verdade?

Ajude a guardar os brinquedos.

Dê parabéns a criança porque ela não come aquele doce ou aquela porcariazinha.

Elogie.

Diga que outro dia ela pode voltar e brincar mais.


E obrigada! As mães agradecem e no final você também. ☺

sábado, 8 de julho de 2017

Chá de calcinha (ou Chá de Desfralde) é uma bobagem?

Chá de calcinha ou chá de desfralde é a nova moda de agora. (recebemos os prints que compõem o post e resolvemos escrever sobre isso.)




Estamos criando uma sociedade fast, tudo tem que ser feito rápido, tudo tem prazo de validade e tempo cronometrado. É o mais novo/velho discurso: Quanto mais cedo melhor. A geração Alpha. Sim queridos amigos, quem tem a minha idade já ouviu sobre a geração x,y e z. Mas estamos na geração Alpha, a dos mais inteligentes mas também dos maiores casos de TDAH. A geração da tecnologia, a geração youtube, a geração FAST, a geração que não sabe esperar, que não entende uma palma da mão estendida em sinal de "espere", mas entende muito bem um quadrado vermelho com um play branco no meio( vulgo youthube).

Nossos filhos nascidos depois de 2010, os alphas: Tem idade exata para bater palmas, para andar, para falar, para ser alfabetizado, idade para desfralde. Com certeza você já deve ter passado por uma dessas pressões e ter sentindo enorme frustração por não se encaixar no padrão fast ou por ter feito tudo o que manda o figurino mas está infeliz.

Porque viver Fast é um grande buraco. Tira a alegria de viver e vai desencadeando uma série de sentimentos infelizes como ansiedade, panico e depressão.

As crianças já nascem sendo pressionadas: tem que aprender isso ou aquilo, devem estar na escola tal, de idioma tal. Que fulano de tal já sabe fazer coisa tal.
Começa a desastrosa comparação e de repente já estamos fazendo cotação da escola que vão estudar, guardar dinheiro para a faculdade, para o intercambio, para o curso de línguas e o bebê nem fez a pega correta na teta da mãe ainda.

Você deve estimular! Eles dizem... 
Te convido para assistir o filme ou a série: O começo da vida. Se pegar um tempinho do seu dia para o filme ou série vai ver que as crianças não precisam ser estimuladas, elas são gênios quando crianças, o cérebro está trabalhando a mil, milhões de sinapses se formando. Adivinhem: SOZINHOS!

Ao invés de estimular talvez devemos tirar estímulos, parar de comprar livros sensoriais e levar o bebê pra terra/grama/areia. Botar a mãozinha do bebê na pele de um cavalo de verdade. Leve para ouvir o galo de verdade. Deixe o bebê debaixo de uma árvore ouvindo o som do vento batendo nas folhas. Desligue a TV e deixe as crianças entediadas! Verá que logo após o tédio a criança tem uma ideia mirabolante, vão fazer pedaços de pau virar avião/boneco/colher/carro uma caixa de papelão pode virar uma nave/casa/mesa.

Não se deve estimular andar/correr/fazer coco/xixi/ dormir. Isso tudo é completamente normal para um filhote do ser humano. Eles aprendem vendo, no tempo certo deles. Nenhuma criança saudável vai ficar sem andar. Aprender andar com 1 ano e 3 meses não é coisa do fim do mundo! Aniversário de dois anos não é sinonimo de desfralde! Cada criança tem seu tempo. Alguns tem habilidade motora maior que outras mas no fim  de tudo serão adultos que dormem no horário certo e que fazem xixi e cocô no vaso quando tiverem vontade.

Chá de desfralde é apenas mais uma pressão desse mundo FAST. Ela precisa aprender a fazer xixi no vaso, chega de comprar fraldas né? Porque não fazer uma festa para estimular ou comemorar?

1. Não existe padrão de idade para desfralde;
2. Fazer as necessidades no vaso não é algo a ser super valorizado, é apenas uma etapa da vida.
3.Depois do desfralde é comum ter vários escapes por alguns meses, talvez anos.
4. É um evento íntimo ou seja, não público, de conscientização do funcionamento do corpo, de auto controle e maturidade cerebral. Não deve ser exposto as pessoas desconhecidas,amiguinhos e parentes.

Pensem comigo: A criança faz dois anos e já começam dar penico de presente de aniversário. Desde que ela nasceu ela usa um plástico no meio das pernas que segura coisas molengas e molhadas, um plástico que esteve lá desde que ela nasceu. Algumas vezes sai uma coisa de dentro dela que incomoda e fede, ela começa a se incomodar com aquilo que não a deixa sentar e pede para a mãe tirar.

Um dia a mãe tira aquela coisa do meio das pernas que as pessoas chamam de "fralda". Ela se sente livre e arejada, mas claro, aquela coisa que sempre saiu dela, saiu no meio da brincadeira e dessa vez a molhou todinha! Que será que aconteceu? antes não molhava! Ela está decepcionada com aquilo tudo e chama sua salvadora: a Mãe. A mãe vem e reage:

1. Isso é xixi filha, vamos te limpar, quando quiser ir ao banheiro chama a mamãe tá?
Continuam os escapes frequentemente e a família decide que talvez não seja a hora. Ok. Esperam o momento certo de uma maneira tranquila.

2. Isso é xixi filha, vamos te limpar, quando quiser ir ao banheiro chama a mamãe tá?
A familia toda fica sabendo, pois a nova etapa é pública, que a criança não está usando mais fraldas. A mãe troca e a tia vem: "Você já é grande, não deve mais fazer na roupa." Um parente: "Credo que feio! Mijou na roupa!" Uma amiga: "Puxa ainda faz na roupa? O seu amiguinho fulano não usa mais fraldas e faz no vaso direitinho". Em poucas horas a criança recebeu uma série de repreensão e comparação. 

Quando é o momento certo de desfralde?
Quando a criança tirar as fraldas e ir ao banheiro sozinha.
Eu poderia dizer uma série de indicativos que diria qual é o momento, mas todos eles não significam quase nada. Converse, explique o que é fralda, o que é vaso/pinico, como você faz cocô e xixi. Conte histórias, inventadas ou de livros.( Era uma vez um Urso que deixava a fralda seca por muito tempo e um dia resolveu ir ao banheiro quando sentiu apertado e parou de usar fraldas).

Como foi por aqui?
Nicole: fralda seca com 1 ano e 9 meses. Tirei as fraldas, conversamos. 1 mês ela foi belezinha, aos poucos foi regredindo. Causou stress em mim e no pai dela, pressionamos. A família pressionou. Piorou muito. Ela tem 5 anos e ainda preciso lembrar de ir ao banheiro frequentemente.

Alice e Lívia: Esperei e não ia tirar tão cedo. Escola disse que elas iam ao banheiro sozinhas e tiravam a fralda. Fiz o teste em casa, comprei um livro bacaninha e de repente não usavam mais. Estão com 3 anos e meio e uma delas não usa nem a noite.

Lara: 1 ano e 8 meses pedindo para ir ao banheiro. Sepração dos pais. Escola forçou. Pai forçou. Mamãe se viu sozinha. Resultado: regresso. Conseguiu novamente e definitavmente, quando a mamãe tirou a semana para isso, não deixou ela ir em casa de avó, de tia, escola e nem na casa do pai. Prestou atenção em cada detalhe. Escondeu todas as fraldas. em três dias ela desraldou completamente (incluindo a fralda noturna! uhul). Houveram pouquíssimos escapes noturnos depois disso. Diurno apenas um. Aqui contamos detalhadamente como foi: Desfralde Concluído com Sucesso - Lara.

Não se preocupe! Não vão usar fraldas para sempre!


Por: Aline Viana e Bruna Francine.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Fique com alguém que ouça suas reclamações de corpo e alma

Tive uma semana muito agitada, na verdade estou num ano agitado. Estou correndo atrás de muitas coisas pela escola das minhas filhas que é pública, represento uns 400 pais da creche das meninas. Falta de funcionários, super lotação e muito descaso com a educação.
Fizemos reunião com supervisores, falei com Secretária da Educação e entrei em contato com vereadores.

Muito corrido e estressante. Aí me chamaram para uma reunião de professores de outra escola pedindo informações e reinvindicando pela escola deles também e acabei ouvindo coisas que eu não queria. Um misto de "os pais nao se importam" com "o governo não se importa" " fazemos de tudo pelas crianças"... Mas, sim teve um MAS e foi esse " Se precisar de nós não podemos fazer nada pois sofremos represálias" e o pior MAS "Se precisar de alguém para cuidar das suas filhas enquanto nos ajuda, não tem ninguém". 

É fato que há um desinteresse geral pela educação mas eu já estou cansada desse discurso. As pessoas se esquivam da responsabilidade e jogam a carga nas outras pessoas. Cada um deve ter consciência do seu papel e sua importância mas uma coisa que nunca funciona é culpar os outros e não acolher quem se disponibiliza a ajudar. Não incluir minhas filhas é um convite de saída para mim.

Ai fiquei muito puta mesmo, irritada, jogando bola de fogo em tudo. Pensando em mudar de cidade. Cheguei em casa, quase passei por cima do portão com o carro.

"Mor, vamos embora dessa cidade!" Foi meus cumprimentos ao meu marido.

Falei por 1 hora sem parar, ele me ouvia atentamente e concordava comigo. Fui me acalmando e botando a cabeça no lugar de novo. Percebi que estava sendo um pouco radical, respirei fundo e passou!

É maravilhoso poder contar com o companheiro nos nossos piores momentos, quando não temos mais ninguém que entenda e compreenda nossas dores. Que pensa igual ou nem tanto mas respeita seu pensamento e espera o momento certo para falar algo caso precisar.

Nosso namoro foi precoce, eu era muito nova apesar de ter maturidade acima da idade. Tinhamos muito motivos para não ficarmos juntos, criação e educação muito diferentes. Concepções de mundo e sentimentos diferentes. Mas o que nunca deixamos faltar é compreender e respeitar. Dialogamos sempre. Há coisas que precisamos conversar por anos até que consigamos entender. Depois de 10 anos de relacionamento ainda há coisa que não entendo nele nem ele em mim. Mas nunca deixamos de respeitar. 

É meu esposo, pai das minhas filhas, meu namorado e meu amigo.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Plantando nas latas de leite condensado Moça

👉Comprei no mercado 3 latas de leite condensado.Fizemos muitos doces bem gordos para a gente comer hahaha. As latinhas eram muito fofas e peguei a idéia na página da Moça de plantar nas latinhas. No site tem mais idéias como no gif abaixo que peguei na página da Leite Moça.

💗Eu amei, não vejo a hora de ver os brotinhos.💗




Coleção inteira

Bora plantar?


terça-feira, 4 de julho de 2017

Porque comer legumes e verduras na gestação (e durante a amamentação)


"Pesquisas mostram que por volta do terceiro trimestre o feto consegue sentir o gosto das refeições da mãe, pois os sabores invadem o líquido amniótico. Uma pesquisa recente sugere que o que uma mulher come durante a gravidez influencia no futuro paladar do bebê (o mesmo acontece quando ela está amamentando, uma vez que o leite materno também absorve os sabores)." 
[trecho do livro: O que esperar quando se está esperando]

Então, se já se preocupa com a alimentação futura do bebê, mude a sua própria.

E caso já esteja na fase de introdução alimentar, ou até mesmo já tenha crinças grandes, ainda vale resaltar que a sua alimentação influencia (E MUITO) a do seu filho - Leia aqui Como a Lara aprendeu a comer brócolis

De todas as dicas que recebi na gravidez, todas as que me parecem produtiva eu tentei. Mesmo que não mude nada, pelo menos me fez bem.

Na primeira gestação a gente quer comer tudo, aproveitar tudo (na segunda também rsrs, mas com outros olhares). Nesta gestação tenho me alimentado muito melhor e mais saudável, e isso tem me feito sentir bem e disposta, fico bem comigo mesma, não fico me sentindo gorda (apesar de já ter engravidado mais gordinha do que a primeira).

Comer bem faz bem! Faz bem pra nós mesmo! ❤

Não importa que fase da sua vida esteja, tente! Vale a pena!


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Eu ODEIO pessoas que AMAM inverno!

Foi o que entenderam nossos seguidores do Facebook.

Era sábado a noite e as meninas doentes. Lívia estava com febre desde sexta e a Alice começou a ter no sábado, era um verdadeiro revezamento, Lívia boa, Alice ruim, Alice boa, Lívia ruim. Elas iam dormir na casa da Bisa junto com minha mãe e acabei mandando apenas a Nicole. Antes de irem para a Bisa, meu marido e ela foram para a igreja e eu fiquei com as duas.

Coloquei desenho preferido delas e deitei na cama junto delas. A Lívia me olhou com aqueles olhos cheio de lagrimas devido a gripe e a única coisa que pensei foi " Tenho que escrever!". E foi isso que escrevi:

E essa foto:
Alcance maior de 43 mil pessoas! 79 curtidas e 52 comentários!

Uau! 

A maioria entendeu que o que eu queria dizer era que o inverno traz um ambiente favorável para muitos vírus e pode ser o pesadelo dos pais com crianças pequenas. Mas teve um pequena repercurssão negativa que mecheu um pouco comigo, li e reli o texto, li para meu esposo e pensei: "Será que fui ofensiva?" De acordo com ele e com a Bruna não fui hahaha. 

Nunca recebi críticas como essas. Um me disse que a culpa era minha por elas estarem doentes e outro me disse que o Brasil é grande, é só mudar para um lugar que não tenha frio. Advinhem! Eram de homens esses comentários!

Respondi as ofensas com muito humor e amor. Mas doeu. Mas meus queridox, foi muito interessante os comentários positivos das mães no mesmo barco que eu e muito feliz por ter escrito um post feito com o coração de uma maternide real e crua e ter alcançado tantas mães que passam o mesmo, era exatamente esse tipo de texto que eu gostaria que repercurtisse. 💓💓💓

Tamo juntas!

Destaque do dia

Ser mãe

Receba novas postagens por e-mail!

Posts Recentes

Já Curtiu Jovens Mães no Facebook?