segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

São gêmeos e agora? Parte 1


Quando engravidei pela segunda vez a Nicole tinha 1 ano e 1 mês. Era a bebê mais linda e calma da face da terra. (A partir de 1 ano somente, até lá o choro dela era ininterrupto, escreve assim? kkkk, ou seja, fazia um mês que ela não chorava e já engatilhamos outro).

Minha barriga cresceu muito rápido e apesar de saber que por ser segunda gestação, ainda assim estava além do normal rs.

Já fomos nos preparando e quando fizemos a ultrassom o médico disse: Aqui está a primeira cabecinha e aqui...a outra. São gêmeos!

Duas cabecinhas perfeitas.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Para que serve o pai?

O filho nasce e o pai fica ali em volta tentando ajudar no que pode, ou só olhando, ou continua na farra... cada pai reage á uma maneira. A verdade é que nem ele nem nós sabemos para que ele serve.

Substituto? Ajuda? Serve para ajudar com a casa ou com as crianças? Para jogar pra cima quando chegar do trabalho? Para fazer tudo que pedimos quando precisamos? Cozinhar? Para divertir os filhos apenas?

Eles foram treinados que as mães fazem tudo e por mais que querem fazer sua parte muito provavelmente não tiveram um exemplo de pai. 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Filme: Perfeita é a mãe e a importancia de termos amigas na vida

Recentemente assisti o filme Perfeita é a mãe e foi incrível!

São três mães totalmente diferentes que se encontram e resolvem se unir em pró de uma maternidade mais leve. Juntas começam a se divertir e lembrar quem elas são como mulheres, retiram o excesso de peso que a maternidade trouxe. Aquela perfeição que devemos dar conta de tudo, trabalho, estudos, casa, filhos e marido. Não! Não precisamos e não devemos!


 
Muita mulher se orgulha de ser "polvo", eu acho que não deveríamos. Isso nos faz se sentir obrigadas a cumprir com esse papel todos os dias, um fardo muito pesado! Ele acaba pesando demais e nos esmagando e aí...não conseguimos fazer mais nada!



A união que elas criam e tudo que elas conquistam depois é uma prova ( mesmo que fictícia por se tratar de um filme) que precisamos conversar mais, sair mais, relacionar mais. Não precisa ser amigas mulheres, nem tampouco mulheres com filhos. Precisamos nos sentir humanas, abrir a boca, expor nossos anceios, nossas vontades e sermos estimulá-das por nossa rede de relacionamento a conquistar nossos desejos.




Perfeita é a mãe (Bad Mons) está disponível no Netflix!😆😆😆

Por uma maternidade mais leve, sem cobranças internas e externas!

Aline Viana

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Caderno de lembranças

Tem coisa mais fofa que o bebê aprendendo a se comunicar?

Sempre senti necessidade de escrever as coisas engraçadas que as crianças falavam porque depois eu não conseguia lembrar.

Perdi muitas falinhas engraçadas da Nicole porque ainda não tinha o caderninho de lembranças. Das gêmeas já peguei desde as primeiras palavras.

Uma vez a Alice estava com 1 ano e 7 meses e veio desesperada pra mim apontando para um passarinho: Mamãe! Mãe! Pupu cai! Pupu cai! ( O passarinho estava voando e ela estava achando que ele estava caindo) . Foi uma das primeiras frases dela e está lá anotadinho para eu não esquecer.

Caderninho de lembranças

A alegria da gravidez depois de uma perda

Quando passo pelos blogs que sigo, muitas vezes só lendo mesmo, acabo me deparando com algumas mães que passaram pela dor da perda de um filho que nem chegamos a conhecer, mas como nos faz falta! Não sabemos como explicar, mas a dor é imensa e sentimos saudade daquele ser, é como se sempre tivesse existido e nunca tivesse deixado de ser.

Faz um ano que tento escrever enfaticamente sobre isso, mas as lágrimas nunca deixaram. Apesar das palavras escritas terem sido meu auxílio por muitos medos que passei na primeira gestação e depois com a vinda da Lara que achei que escrevendo conseguiria superar essa dor.

O fato é que não superei, não quero e não vou superar. 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A lei da palmada e sua aplicação (ou a falta dela)


O projeto de lei da palmada ou lei do menino Bernardo (LEI Nº 13.010, DE 26 DE JUNHO DE 2014.  ) foi aprovada em 26 de junho de 2014, acrescida ao Estatuto da criança e do Adolescente (ECA) a partir desta data.

"A criança e o adolescente têm o direito de ser educados e cuidados sem o uso de castigo físico ou de tratamento cruel ou degradante, como formas de correção, disciplina, educação ou qualquer outro pretexto"



Pensando dessa maneira vemos que essa atualização do ECA é bem recente. Apenas 3 anos de crianças e adolescentes apanhando "menos".


O assunto é polêmico não porque as pessoas que são contra achem que a criança deve ser agredida para ser educada. Como já tratado aqui no blog, há uma diferença entre a disciplina punitiva e permissiva, não sendo nenhuma das duas eficientes, ficando entre elas, então a Disciplina Positiva.


+ Disciplina Permissiva, quando o mais fácil é aceitar as vontades da criança

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Rosa, Azul. Futebol, ballet. Carrinho, boneca. O que isso transmite para as crianças?

Fui numa chácara esse fim de semana. Tinha piscina e estava uma delícia. Meu marido tinha que trabalhar e no pouco tempo que ele tinha, encorajou as meninas a nadar na piscina grande. Ele foi trabalhar e eu fiquei com elas.

Tinham seis pais e uma mãe. Eu.

Das crianças maiores três eram meninas e dois meninos.

Das três apenas uma entrava, saia, mergulhava, fazia bomba. Tudo sosinha, o pai dela entrou uns 20 minutos apenas. As outras( que sabiam nadar muito bem) ficavam na beira da piscina: -Pai! Pai! me leva! Estou com medo!

Dos meninos não tinha um, chamando o pai. E tinha uma penca de meninos pequenos abaixo dos 6 anos.

Por que? Natureza? Somos assim mesmo?

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Porque é tão difícil escolher o parto que queremos?

Que mãe nunca sonhou com um parto natural daqueles lindos que a criança nasce e vem para os nossos braços com tanto amor?
Aqueles partos com o pai apoiando, uma equipe que dá apoio, quando entendemos o que está acontecendo.. Aquele determinado momento que nos desligamos do mundo e podemos fazer isso porque sabemos que a equipe que apoia permitirá isso, sem tentar intervir no NOSSO momento.., Tão lindo! Ah que sonho!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Quando você acha que está indo bem...

Quando você pensa que está forte, quando imagina que cresceu, quando pensa que está se saindo bem na maternidade, você percebe que não passa de sonhos não concretizados, que sua vida é uma luta diária. 
Que mães nunca quiseram desistir? E isso quer dizer de fato que você não ama seu filho? 

Quando nasce uma mãe morre uma mulher

Mamãe gestante, se prepare! Essa mulher que você é hoje morrerá no dia do seu parto. E você passará por um momento de luto por alguns meses.



Quem eu sou? o que eu faço? Sou boa só em trocar fraldas? Cadê aquela mulher? Onde eu estou? Fico feliz com cocô, tiro meleca o dia todo, tomo banho de vômito e não me importo!!!Socorroooo!!!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Disciplina permissiva, quando o mais fácil é aceitar as vontades da criança.

A disciplina permissiva é antagônica à Disciplina Punitiva ou Autoritária. Ambas são extremistas.

Na punitiva ou autoritária, a criança nunca é entendida, seus sentimentos são desconsiderados e os pais punem seus filhos quando acham necessário. Na permissiva os pais deixam a criança fazer o que quiser e ela se torna o lider da casa.



terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Tenha um tempo para o seu banho

Quando me perguntam como aguento toda a correira do dia a dia, e como consigo, principalmente conciliar tanta responsabilidade sem enlouquecer, penso logo nas coisas que faço pra mim mesma. Minhas válvulas de escape são as que me mantém animada, em pé, com coragem.

O banho é uma delas. E acredite, É ESSENCIAL. 


Não são todos os dias que consigo um banho de mais de 10 minutos sem alguém na porta gritando mamãe (ou dentro do banheiro falando comigo, ou tomando banho junto), mas as vezes, pedir para quem nos ajuda em casa (marido, mãe, seja lá com quem você more) não vai fazer mal a ninguém. Pelo contrário, só te fará bem.

Você sai revigorada. Não pense que é egoísmo. Esqueça que a criança está na sala com alguém enquanto você se "dá ao luxo" de tomar um banho demorado. Não é luxo, é necessidade.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Mais uma vez eu recusei uma noite divertida com as amigas em troca de dormir cedo.

Perdi as contas de quantas sorveterias, Mc Donald’s, Starbucks, shoppings, e tantas lanchonetes e aniversários e festas, eu recusei por causa das meninas.

As minhas amigas amam sair à noite, eu já não curtia muito antes, mas lembro de antes das meninas eu saia e gostava, mesmo não aguentando madrugar e indo embora “cedo”.

Agora sem chance... Respeito muito a rotina das meninas, horário de acordar e dormir, horário de janta, almoço. Se essas coisas não forem no horário elas se tornam outras pessoas. Fome e sono tem coisa pior? Então programas noturnos não faço. Principalmente em época de aula, já que acordam 6h da manhã.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Andador Infantil - Usar ou não usar?


Uma das maiores polêmicas é quando a criança começa a andar e tem sempre aqueles que querem colocar o andador de qualquer jeito, mas na hora de escolher entre usar ou não usar o andador é importante saber o porque. 

Quando fui escolher, os maiores sites infantis e de minha confiança "Guia do bebê" e "Baby Center" indicavam veemente a não usar o andador por prejuízos motores. Confesso que ao pesquisar hoje para fazer esse post me assustei com a diferença dos dois sites.

Não sei se em dois anos as pesquisas mudaram tanto, ou se a industria conseguiu interferir. Se leres a reportagem inteira dizem que não há malefícios, apenas os riscos de acidentes. 


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Adaptação na creche. E se ele não se adaptar? 10 dicas para seu filho se adaptar melhor

E ai chega o tão temível primeiro dia de aula. Como será que vai ser? Quem vai chorar: ele, eu ou nós? Vai se adaptar? Até quando vai chorar?

Calma! Respira... Conta até 10.... ahhhh

Esse ano é nosso terceiro ano na creche. Nesses anos tenho participado de quatro adaptações e estamos na 5°. Vi minhas filhas chorando, filhos dos outros chorando e é claro... mães chorando.

10 dicas para seu filho se adaptar melhor:


  1. Respira! Calma!
  2. Conheça muito bem quem é a equipe que vai estar com seu filho. Participe da primeira reunião, se informe, conheça os nomes, quem é a professora, quem é a monitora, a diretora, todos. Conhecendo a equipe e tirando todas as dúvidas te dará segurança. Mães seguras=filhos seguros.
  3. Anime seu filho dias antes das aulas. Leve ele para conhecer a escola e a equipe antes de iniciarem as aulas. Veja o que o anima ir para a escola, seja a mochila nova, os amigos, o parque e use isso para animá-lo. Converse sobre a escola sempre sorrindo. Diga que você já foi à escola quando era pequena.
  4. Não chore na frente dele. E nem se sinta mal por deixá-lo na escola. (Sei que é difícil, mas tente lembrar o que te fez decidir matriculá-lo, com certeza teve uma boa razão.)
  5. Entregue para as tias sorrindo e corre chorar escondido hehehe
  6. Mantenha-se por perto se caso precisar levar embora.
  7. Saiba que algumas crianças demoram a se adaptar. Algumas começam com 30 min de permanência até ficar o tempo todo. É assustador para elas um monte de tia animada, música, 10 crianças chorando, brinquedos espalhados numa sala toda colorida com cheiro estranho. 
  8. Leve algo que o lembre de casa. Um bichinho (não se esqueça de por o nome pra não perder), um paninho, cobertor, algumas mães mandam algo que tem o cheiro dela, pode ser um pedaço da sua camiseta rs. Tudo vale para lembrar de casa.
  9. Reforce: "Adultos voltam sim!"( Música de Daniel Tigre, a viciada em desenhos infantis kkk)
  10. Conte uma experiencia sua, que você também chorava porque achava que a vovó nunca mais voltaria e ela voltava todos os dias! Que era incrível!
Logo logo ele estará adaptado e feliz, mamães!

Conte para nós o que vocês feziram para passarem melhor por esses dias de adaptação!

Beijocas
Aline.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

"Você pode fazer o que quiser sem deixar de ser mãe. 

Apenas não se esqueça de ser. 

Não importa a quantidade do tempo quando a qualidade é ínfima
Então, valorize os pequenos momentos de forma a ter-se um tempo valioso e seres lembrada como melhor mãe do mundo!"




Quando o blog foi criado, a ideia sempre foi ajudar JOVENS MÃES que precisariam manter a rotina dos estudos, trabalho, etc, conciliando com a maternidade. Sabendo da dificuldade, ajudar foi a maior forma de ser ajudada.

Cada post que fiz aqui, muitas vezes são os que releio para me dar animo e forças para continuar.

Estar no quinto ano da faculdade de Direito é uma glória para todos, é sabido o quanto é uma faculdade exaustiva e que exige demais do aluno, assim como Medicina e Engenharia, está entre as mais difíceis de se chegar ao fim, as mais procuradas, porém as com maiores números de desistencias. Agradeço por ter tido força de não fazer parte desse número.

Ser mãe não é algo fácil, apesar de todos os encantos que dizem por aí. Você ouve coisas desnecessárias quando é mãe e dona de casa, quando trabalha e cuida dos filhos, e quando trabalha e estuda então? Imagina o quanto não falam!

Pois é, mas quando decidi encarar esse desafio, escolhi tapar os ouvidos para quem não queria me ver bem, e agradecer e retribuir ao máximo as pessoas que de fato me ajudam e torcem por mim. Foi a maior e melhor escolha que fiz na vida. Foi por tapar os ouvidos que cheguei onde cheguei. Foi por ser grata a quem me ajuda que elas continuaram me ajudando.

Ser mãe é mais que ser guerreira, ser mãe é redescobrir-se como superior a si mesma. Você aprende que sempre será mais do que você já é. E nunca mais será inferior.

Não se você não ouvir os outros. Apenas escute quem de fato de ajuda, pois esses falam por seu bem.

Os demais, são só demais.

Se você quer, você consegue. Você tem que ser mãe, não heroína dos outros, seja sua própria heroína e protagonista da sua própria história. 

Um dia os filhos crescem, e eles não vão se importar com o tipo de parto, quantas roupinhas você lavou com sabão de coco, quantos vômitos limpou, nem se você estava todos os dias com eles, se tudo isso não for acompanhado de paciência e amor extremo. De nada adianta ser a mãe perfeita para a sociedade se não fores perfeita para o seu filho. E para ele, acredite, você ser linda, mulher, cuidar de si mesma, se amar, nem sempre cozinhar, mas sempre parar para ouvi-lo, isso sim te faz a super heroína dele.

Então não seja o que querem que você seja. 
Seja o que você nasceu para ser: você!


👏🙏😍

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Meu filho só chora comigo!

Acho que toda mãe sente isso. Na creche eles não choram, não birram, nem esperneiam. Não faz isso com a avó, tia, pai. Mas quando a mãe chega, começa...se joga no chão, choram, batem.

Até parece pirraça né?

Não... não é. Pensa como uma criança. Onde é o porto seguro dele? Quem independente das circunstâncias sempre estará lá para defendê-lo? A mãe.

Na creche, na casa dos parentes e até mesmo com o pai, as crianças tem uma defesa. “Engolem” todos os sentimentos. Quando a gente chega elas se sentem livres, libertas para expor todos seus sentimentos. Ah! Minha mãe chegou! Quem aí ainda não sente isso? Quando a mãe chega, a gente desaba e chora.



Mamães não se sintam culpadas por isso, sintam orgulho! Pois por mais que achamos ser péssimas mães, que não estamos presentes o suficiente. Seu filho/a te ama mais do que qualquer pessoa, e ele sabe o quanto você o ama.

Então quando seu filho surtar e as pessoas disserem: “Ele/a estava bem até agora!” diga:

-Que bom, ele/a me ama!


Acolham seus filhos, os deixem chorarem e expor tudo aquilo que eles seguraram até o momento que você chegou. Tirem um tempo para ouvi-los, atrase um pouco para chegar a casa. Abaixe, abrace. Pode ser na escola, no carro, no caminho. Ouça seus lamentos. 

Colo de mãe...tem coisa melhor?

Aline Viana

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Como o casamento muda depois dos filhos

Escrevi esse texto há 2 anos atrás, achei legal publicar exatamente como escrevi.

Há algumas coisas que ninguém nos conta sobre a maternidade. Todo mundo fala das coisas lindas, do brilho que a gravidez traz, que filhos são bênçãos de Deus, os filhos trazem cor as nossas vidas. Nada disso está errado, a Maternidade é maravilhosa!


Mas a gente cria tantas expectativas e quando o bebê nasce a maioria daquelas coisas não era verdade. Não achem que o relacionamento fortalece com os filhos! As expectativas estragam o relacionamento indo a beira do fim.

Você vai perceber que seu bebê não dorme a noite toda, e isso te deixa muito mais cansada do que quando você tinha que acordar várias vezes para ir ao banheiro. Ao invés de um incomodo na bexiga é um berreiro ao seu lado! Que faz te acordar pulando da cama achando que o bebe está morrendo!

Vai perceber que todas aquelas técnicas que você aprendeu para fazer seu bebê dormir não vai funcionar, seu bebê é único e você também, algumas coisas não vão funcionar.

Quando minha mais velha nasceu passávamos (eu e esposo) a noite toda fazendo ela dormir, ela dormia 20 min e ficava acordada 1 hora! E não era toda sorridente, quietinha não! Era berrando durante 1h!Não sabíamos mais o que fazer até que uma tia do meu esposo deu a dica: Deixe-a acordada, a coloque no travesseiro no seu colo e vai assistir TV! Uma hora ela dorme! E foi o que fizemos, criamos a Seção Madrugada, ela acordava e nós corríamos assistir filmes preferidos, ríamos de madrugada. Ela dormia, dormíamos. Ela acordava, bora assistir filme!

Bom, mas vamos ao título: Como o casamento muda depois dos filhos? Muda! E drasticamente. A mulher cria expectativas que seu esposo será o melhor Pai, que vai cuidar do bebê, que vai dar banho, trocar, deixar ela dormir um pouco enquanto ele cuida, faz mamadeiras, enfim, faz tudo. O homem acha que a esposa será a melhor mãe do mundo, que nunca vai se estressar com nada, que vai chegar em casa, a mulher estará toda arrumada, linda! Bebê dormindo, janta pronta e casa arrumada.

Coloquem na cabeça! Nada disso é real! Principalmente no primeiro filho e no primeiro ano. O homem não vai mudar do dia para a noite porque virou pai, nem a mulher porque virou mãe. A paternidade e maternidade são processos de aprendizagem, costumo dizer que casamento e filhos são os maiores desafios da vida que Deus nos deu.

Homens: As mulheres estarão descabeladas quando chegarem em casa, de pijama, cheirando leite azedo, com o seio de fora, dormindo, cansada, a casa cheia de mamadeiras, remédios para cólicas, fraldas sujas, muita roupa para lavar (alguns bebês tem o talento de “explodir” justo quando tiramos a fralda) mas ajude ela, cuide do bebê por um tempinho só para ela conseguir tomar um banho quente e demorado,conseguir jantar uma comida quentinha.É claro que isso não ocorrerá todos os dias, tem dia que o bebê não dá trabalho e a mãe consegue se arrumar, mas são poucas vezes que isso ocorrerá e só acontecerá com mais freqüência depois dos 6 meses de vida do bebê e olhe lá! Então, não crie expectativas, elas vão te decepcionar.

Mulheres: Não esperem que quando o marido chegar, ele vai cuidar do bebê por horas. Provavelmente ele vai abrir a porta do chuveiro depois de cinco minutos dizendo: Ele (a) fez cocô, e agora? Ele (a) golfou no seu tapete preferido! Ele (a) quer mamar! Ele (a) está chorando muito não sei o que fazer! Não se incomode com seu cheiro de leite. Muitas das vezes irá comer comida fria, ir a salão de beleza?Difícil. Fazer as unhas? No máximo no cortador de unha para as unhas compridas não machucarem a pele sensível do bebê.


Não criem altas expectativas, apenas uma! Vocês se amam! E o amor supera qualquer coisa! Ajudem um ao outro, quer que ela cuide de você? Cuide dela! Quer que ele cuide de você? Cuide dele! Casamento é um se entregar para o outro, ouvir e falar quando necessário. Vocês vão errar muito! Mas acertarão SEMPRE, juntos!

Acrescento: Homens não estão sendo criados para educar seus filhos nem ajudar a mulher em casa. Vai ser mega difícil fazê-los entender que devem estar presentes e devem cuidar da casa. Mas não desistam mulheres! Cuidar dos filhos e da casa é dever dos DOIS. Não é ajudar a mãe, é exercer paternidade ativa.

Estimulem o trabalho doméstico nos filhos meninos, eles crescerão homens que honram e entendem suas mulheres

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Ela caiu da cama! Dois pontos!

Duas macaquinhas pulando na cama, uma caiu e bateu a cabeça no chão, papai, mamães e irmãzinhas levaram para a médica e ela disse: 2 pontinhos na sua cabeçinha!

Crianças... motivos da nossa vida.

Elas são cheias de vida. Vida ... O que é vida? faz parte da vida a tristeza, a alegria, melancolia, raiva, amor, ódio, dor, sofrimento. Tudo, tudo mesmo!

Dizem que meninas não fazem tanta arte como menino, não entrem nessa. Quem faz arte é criança e não gênero.

Enfim... estava eu conversando com meu esposo ontem de manhã, as gêmeas vão para o meu quarto e fecham a porta, logo depois eu ouço o choro. O choro de dor.

Saí correndo imaginando ser um pequeno machucado. Abri a porta, ela olha pra mim. A cabecinha parecendo mangueira de sangue. Eu achava que era forte gente, nessa hora amolecia as pernas, só tive forças de gritar meu marido.

Já arrumei as crianças enquanto ele tentava estancar o sangue.

Nunca me machuquei assim, nem acompanhei um desses. Nunca participei de emergência. (Só que Grey's Anatomy, Bones.... não valeu). Imaginam meu choque.

No caminho fomos conversando com ela, tudo que ia acontecer, ela ficou com medo mas sabíamos que estaríamos com ela.

Entrei no hospital e nem peguei fila, limparam o corte e confirmaram que teria que dar pontos.

A parte dos pontos foi a pior gente... De novo eu me subestimei achando que ia ficar tranquila!
Eu fiquei mesmo, cantei, conversei, acalmei.. mas por dentro eu estava chorando.

Embalaram ela no lençol para não se mecher. Seguraram a cabecinha. Ela gritava: Para tia! Para tia! Eu quero sair! Eu quero sair! Chega! Chega!

Ai gente como dói.

Hoje ela está aqui, arteira, os pontos já estão começando a secar. E claro... fazendo mais artes!

E eu morrendo por dentro... pelo jeito não vai ser a última vez que vou ver choros em nome da vida!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Porque incluir os filhos nas tarefas diárias?

Chefe mirim Lara - Pão de Queijo

Incluir seus filhos nas tarefas de casa permite que você consegue faça algumas coisas diferentes sem deixá-los de lado. E eles adoram por a mão na massa. Literalmente. 
É importante para o conhecimento de diferentes texturas, pra entenderem que as coisas não ficam prontas na hora, e principalmente, pra se sentirem úteis para a mamãe.
Não só na cozinha, mas também em todas as tarefas da casa.
O pãozinho que ela amassou coloquei na forma do jeitinho dela. Ela ficou super feliz!


Receita de Pão de Queijo

250 gramas de polvilho salgado
250 gramas de queijo minas (ou mais)
2 ovos
1/2 xícara de água gelada
Misturar tudo até ficar homogêneo. Fazer bolinhas. Levar ao forno médio pré aquecido por cerca de 30 minutos.


E por aí? Como eles ajudam em casa?

Por: Bruna Francine

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Por que temos tanto receio em sair sem as crianças?

Recentemente postamos na nossa página do facebook Jovens Mães o seguinte questionamento:


Você pode ver a postagem da Metróplis AQUI.

E a maioria das mães confessaram não conseguir sair sem os filhos ou até nunca ter saido sem eles.
Quer ver os comentários? Clique AQUI.

E começei a pensar ... por que não? Por que sim?

Ser humano é uma coisa louca. A gente ama o novo, mas morre de medo dele. Queremos sair da rotina, mas nem tanto assim. Quando estamos surtando e pensamos em fugir, não conseguimos imaginar fugindo sem nossos filhos, a causa da nossa fuga!

Eu digo uma coisa: Não temam em sair sozinhas, ou acompanhadas, sem os filhos!

Somos mães, mas também somos mulheres, precisamos sair e curtir quem somos, curtir nossa própria presença, curtir nossos interesses. Uma vez ouvi a seguinte frase: "Como você pode amar outra pessoa se não ama a si mesmo?"

Entendo como é difícil, porque somos seres adaptáveis. Sempre que acontece algo novo na nossa vida e nos adaptamos, fica difícil lembrar quem éramos antes desse “novo”. Quer ver? Quem lembra como é estar grávida? Você consegue se lembrar como era o barrigão do seu primeiro filho agora? Então, quando nos tornamos mães, fica difícil lembrar quem éramos antes de termos nossos filhos.

É claro que quando saírem sozinhas vocês vão se lembrar dos filhos, vão ver parquinhos e vai lembrar-se deles, vai desejar a presença deles, e isso é ótimo! Começamos a lembrar de como nossos filhos são um presente e damos mais valor a eles! Quando chegarmos em casa, estaremos de coração aberto, mente limpa para cuidar deles.



Sem contar que vamos descobrir que somos mulheres fantásticas e isso não tem preço para auto estima! Ficamos mais dispostas, mais pacientes e amorosas.

Então saiam sem os filhos sim! Saiam até sem os maridos e companheiros. Saiam com as amigas! Descobrem-se! Redescobrem-se!

Dica de post:


Aline Viana

Destaque do dia

FANTASIA DE CARNAVAL - "PRINCESA UNICÓRNIO"

Receba novas postagens por e-mail!

Posts Recentes