Porque denunciar a Violência Obstétrica?

Já comentei sobre esse assunto nesse post: SOFRI VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA. DEVO DENUNCIAR?, porém continua sendo um assunto recorrente e que muitas mães ainda tem duvida do que podem ou não fazer em uma situação como essa.

E hoje lendo o relato de parto da Flávia do Blog relembrei o quanto há muitas mulheres que sofrem Violência Obstétrica, mesmo em cesarianas eletivas. No link da primeira linha tem descrita todas as formas de violência que uma mulher pode sofrer no pré, parto e situações de aborto (até em uma situação de dor e perda há equipes médicas que conseguem desrespeitar). Esse é um trecho do relato da Flávia no post RELATO DE PARTO COM VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA:


"Eu não vi meu filho quando nasceu, meus olhos não abriam. Eu só escutava ele chorando e sei que levaram ele para a pediatra avaliar.

Eu continuei ali para retirada da placenta, me mostraram meu bebê depois ao longe e me aplicaram anestesia local para dar pontos no corte vaginal. Enquanto a enfermeira dava os pontos eu ia me recompondo e o médico chegou. Mas já era tarde."



Quando puder denunciar, o faça, não é só por você, sabemos que os traumas de uma violência não serão superados, talvez nem tenha um desfecho para a equipe médica, nem mesmo uma responsabilização. Mas você fez sua parte, e sua denúncia unida a outras pode mudar a realidade obstétrica do país inteiro. Denuncie. 

Violência Contra a Mulher – 180, ou disque-saúde - 136

Temos a mania de justificar com o bem estar dos filhos depois, "ele está bem, é o que importa"; sim, está, Graças a Deus. Mas você tem o direito de se sentir mal pelo que te fizeram, seu bebê poderia estar bem e você melhor ainda. A dor é inevitável, mas provocar o sofrimento não é admissível.




Você é só uma entre várias, mas se todas denunciarem, seremos uma grande corrente e as próximas mães poderão ser respeitadas nesse momento incrível da vida.  E teremos colaborado pra mais crianças virem ao mundo de forma harmoniosa e respeitosa, e você saberá que fez parte disso.


Para um próximo post falaremos especificamente de cada tipo de VO. E se você tem um relato para mandar de forma a enriquecer os textos, ficaremos muito felizes e gratas, envie para o email bronzato78@gmail.com, AC: Bruna.

Advogada, mãe de casal, autora do blog Jovens Mães.


Sigam nas redes sociais: 
Meu instagran pessoal: @brunabronzato.adv com toda minha rotina, 
e no facebook: Jovens Mães

Comentários

  1. Oi Bruna! Obrigada por compartilhar aqui um pouco da minha história. Há onze anos atrás eu nem sabia que aquilo que estava acontecendo comigo era algo que se pudesse denunciar. Eu era totalmente leiga quanto a essas questoqu. Nunca nem tinha ouvido falar sobre. Por isso a importância de falarmos cada vez mais sobre essa temática, a fim de que mais mulheres tomem conhecimento do assunto e assim possam se fortalecer e combater esses abusos que são tão fortes na vida de uma mulher. Parabéns pelo post! Amei! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Post de imensa importância nos dias de hoje

    ResponderExcluir
  3. Informação é tudo, não é mesmo, certas coisas acontecem e talvez no calor da emoção, não entendemos de fato o que houve.

    ResponderExcluir
  4. Temos de ficar de olho e exigir nossos direitos, com certeza deve ser denunciada, o parto deve ser um momento lindo em nossa vida e não um momento difícil.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas