Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 12, 2017
A mensagem de hoje é curta, porque o sorriso deles, a felicidade no fim da brincadeira, o encanto da brincadeira valem mais que mil palavras. Bom fim de semana, mamães! Aproveitem para brincar com as crianças. 

Ser criança está além da inocência e palavras engraçadas, sua essência está na simplicidade.   Deixem as crianças serem crianças, saiam mais a parques abertos. Ar puro, areia, suor na testa, cabelo bagunçado, felicidade no fim do dia, são dessas pequenas coisas que elas lembrarão quando adultas.



"Deixem serem crianças!" Porque se sujar, faz parte ;)

Por que ter filhos...ou mais filhos?

Você tem nenhum filho, ou um filho ou mais e tem medo de engravidar, ou sente vontade?
Como lidar com uma criança, ou duas, ou três, ou mais? Dividir meu tempo comigo, meu trabalho, com o companheiro, com o filho? e mais um? e mais dois? Como cuidar de um bebê? Como lidar com o ciúmes? O segundo é mais fácil ou mais difícil?
A verdade é que essas perguntas sempre nos rodeiam, mas ter segundo filho ou primeiro, ou vários é uma decisão bem mais emocional que racional. Pensando, sendo racional, nos prós e contras o contra sempre vence. Mas tem uma coisa louca dentro da gente, a Biologia, a Natureza, o Instinto ou Loucura rs que nos puxa e sempre ficamos no "Será?".
Vemos um bebê na rua e nos apaixonamos, uma amiga fica grávida e parece que os hormônios começam a mecher com nossa cabeça. Derrepente a menstruação atrasa, os seios doem, dor de cabeça, tudo sintoma de TPM mas a gente já pensa no bebê, começa planejar uma vida inteira, seu filho com 30 anos, com filhos...não, pera.…

Você tem se organizado?

Muita gente me pergunta como consigo conciliar tudo e como não fico louca (Acreditem, eu fico! rsrs).

Bom, mas consigo fazer muitas coisas mais pelo psicológico estar preparado do que necessariamente pela coisa que vou fazer. Primeiro, porque fazemos as coisas na nossa cabeça antes de colocá-la em prática.

Na realidade funciona mais ou menos assim:




Primeiro eu planejo o que quero fazer (ballet, estudo, arrumar a casa, trabalho, passeio, qualquer coisa, por mais simples que seja)



Se for preciso eu anoto, principalmente se for uma nova ideia (escrever faz sair da sua cabeça; no papel é mais fácil de ver a possibilidade real de realizar as coisas)
Aí comparo com o que eu já tenho que fazer (Dá pra fazer as duas coisas? Não vai prejudicar algo?)
Coloco como meta

Começo a agir de forma que dê para praticar (Se a meta é estudar, precisa de material, se precisa de material é bom ter lugar pra estudar, vai precisar de livros? Busque-os na biblioteca. Procure artigos na internet. Querer é fácil, ma…

Coque para bailarina infantil

As meninas começaram a fazer Ballet e eu nunca acertava o coquinho.

Eu fazia um rabo, depois ia torcendo o cabelo e colocava ele torcido em volta do elástico. Ficava horrível mas era o que eu sabia fazer.

Aí minha mãe estava aqui um dia e me ensinou um jeito prático que amei.

Então vamos lá:








E vocês como fazem?

Fui aprovada em concurso público, estou gestante, e agora?

O maior questionamento surge nem pela posse em si, mas pelos requisitos do edital, dentre os quais os exames admissionais obrigatórios para assumir o cargo, incluindo o exame de raio-x. A questão é? Pode-se fazer ou não?
Por ser exame de caráter obrigatório para assumir o cargo, pode-se pedir o adiamento da realização do exame (e consequentemente da posse) para depois do parto, isso ocorre de forma administrativa (por meio de requerimento protocolado na administração da entidade para a qual prestou o concurso - Prefeitura, Autarquia, Correios, etc), sem necessidade de intervenção do judiciário, a não ser que seja negado o recurso. 

No caso de realização de teste físico, não há como previsão da entidade realizadora do concurso a previsão para a segunda chamada, nesse caso é necessária desde logo a intervenção do judiciário. (Porém há decisão recente do STJ que entende que a gestante não tem direito a remarcar teste de aptidão física - Leia aqui)  “Com efeito, no julgamento do Recurso E…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…