Siga-nos você também!

Sou doula. O quê?

Doula é uma ocupação muito antiga, mas faz poucos anos que foi nomeada como "doula".

O nome Doula vem do grego que significa: Servir a mulher.

Nós eramos irmãs, amigas, mães, que ajudavam as parturientes a parir seus filhos. Aquela que aquecia se estivesse frio, refrescava se tivesse calor. Que cozinhava para a recém mãe. Que segurava sua cabeça e oferecia um copo d'água.

Hoje temos muitos cursos para doulas no Brasil, no Estado de São Paulo tem um projeto de lei para aceitarem as doulas nos hospitais. Na cidade de São Paulo e Sorocaba foi aceito e já está em vigor agora em 2017. Santa Catarina e Blumenal também já possui essa lei.

Mas, o que é doula nos dias de hoje?

A presença da doula hoje reduz chances de episotomia, cesárea, ocitocina, e tantas outros procedimentos invasivos que causam medo e traumas na parturiente.

A doula fornece série de alivio de dor não farmacológico. Massagens, apoio emocional, rebozo, bola, chuveiro, imersão na água. Isso durante o parto.

Antes do parto, a doula faz acompanhamento durante a gestação tirando todas as dúvidas possíveis. Ouvindo seus medos, dando uma palavra amiga nos momentos difíceis. Esclarecendo sobre o parto, suas possibiliades, as realidades do parto no Brasil, procedimentos que ela pode e não pode optar no momento do parto. Plano de parto. Plano A, Plano B. Preparando para a amamentação.

Após o parto a doula pode acompanhar a primeira hora do bebê com sua mãe, orientar na amamentação, na conexão e vínculo dos dois. Ou apenas estar ali para uma água ou ouvir a mulher.

O parto é um caminho estreito e solitário. A mulher passa sosinha, ela é a protagonista do seu parto. Ela diz qual posição quer ficar, até onde aguenta, ela anda, ela senta, come, bebe, é um momento dela em maior conexão com seu feminino. É ela e seu bebê.

Mas a doula é aquela mulher que fica no portal do nascimento, no fim do caminho, dizendo: "você consegue" "vamos! você é forte". Ou apenas olhando nos olhos da parturiente. Ela olha nos olhos da doula e enxerga a sua própria alma, e vê em si mesma forças para continuar. E ela consegue.

A doula pode acompanhar parto domiciliar e hospitalar. Pode acompanhar cesárea, quando esta é necessária. Por que nesse momento há muitas emoções naquela mulher, um sentimento de frustração por não ter conseguido, mesmo que é a melhor solução para ela e seu bebê. A cesárea pode ser fria e solitária, a doula ajuda esse momento ser acolhedor para a mulher.

O hospital muitas vezes é frio, há muitas mulheres parindo para poucos enfermeiros e obstetras. Alguns deles não são humanizados, mesmo em um hospital humanizado. A pressa deles causa medo e anciedade liberando adrenalina na parturiente, uma vez a adrenalina correndo pelo sangue dela fica muito dificil a ocitocina agir. A ocitocina é responsável por caminhar o trabalho de parto, ela é natural, ela é o hormônio do AMOR.

A doula oferece esse amor acolhendo a mulher, ajudando ela a respirar e sentir que o momento mais esperado de 9 meses chegou, e ela estará lá para ajudar para que seja a melhor experiência possível.



Se doula fosse remédio, seria anti-ético não receitar.

Aline Viana.
Doula.


Comentários

Mais vistas...

Porque o Chá de calcinha (ou Chá de Desfralde) é uma bobagem

TAG - Eu NUNCA

Já Curtiu Jovens Mães no Facebook?

Loucuras e realidades da maternidade. Siga a gente no Instagram!

Blogs que sigo