Pular para o conteúdo principal

13 reasons why : Bullying, Cyber bullying, Suicício na adolescência

Essa é daquelas séries que eu digo: Puta merda! Que série foda!




É...isso mesmo. Precisou dos "palavrões".

Eu comecei assistir e me senti péssima porque viciou. Odeio séries que eu fico viciada querendo assistir toda hora.

Mas cara... o aprendizado que ela deixa é surreal.



Vamos logo á resenha da série:

Hannah está no segundo ano do ensino médio. Hannah se matou. Ela se matou por 13 motivos. 13 pessoas. 13 razões.
Ela gravou 13 fitas para essas pessoas que fizeram parte da razão, do porquê. Cada pessoa ouve os 13 motivos e passa para a outra com a ameaça de que se não ouvir ou quebrar,ou não ouvir, alguém de confiança torna as cópias das fitas públicas.
Clay é uma das razões. Ele é o protagonista da série. Um garoto muito meigo, tímido e autêntico. Mas porque ele está nas fitas? Ele cometeu bullying? Assista a série rs.

Mas o que quero dizer é sobre bullying e cyber bullying. Lembra do seu ensino médio? Alguém enchia o seu saco ou você enchia de alguém? Lembra dos apelidos? Da pressão para ser a garota perfeita ou garoto esportista?

Adolescência é um momento super complicado. Todo adulto passou por isso. Todos nós sobrevivemos. Mas os adolecentes atuais, acham que não vão sobreviver (Por quê? Veja lá embaixo). Eles estão sempre rindo mas escondendo segredos, escondendo tristezas, amarguras, vergonha. Ser adolescente não é fácil. Como diz a Hannah:
As pessoas sempre dizem: Sonham grande! Aí te prendem por 12 anos em uma cadeira. E de repente você tem que fazer a escolha mais importante da sua vida.

Tem toda essa pressão natural, o início da sexualidade que parece que todos já sabem transar( que na verdade ninguém sabe). É vergonhoso ser virgem, nunca ter bebido, é maneiro usar maconha, você tem que ser gostosa! Mas não pode ser vulgar. A pressão de repente ter que escolher o que vai ser da vida, qual faculdade dentre tantas, alguém que nem sabe os próprios sentimentos tem que decidir sobre o resto da vida.

Como se não bastasse, ainda tem o bullying. A perseguissão de garotos e garotas que usam a vergonha de um colega para se promover na sociedade escolar. E pior que isso. O cyber bullying, nas redes sociais. É quando seu sofrimento não é apenas na escola, é em casa, na rua. Em todo lugar as pessoas comentam sobre você. Foi isso que aconteceu com a Hannah.

Na série tem duas cenas de estupro. Isso mesmo. Precisamos falar sobre isso. Porque na primeira cena, a vítima está bêbada e desacordada. A segunda vítima está tão abalada que não consegue dizer não. NÓS, PRECISAMOS FALAR SOBRE SEXO. Falar sobre como fazer, como deve fazer, como respeitar o desejo do outro e o que não fazer. Falar sobre consentimento.

PRECISAMOS não julgar os adolescentes por nada que façam. Para que quando ocorrer algo grave saber que pode contar conosco. E que eles não tenham dúvidas nem questionamentos: " O que minha mãe/pai vai dizer?"

PRECISAMOS ensiná-los a nomear seus sentimentos, saber que estão com raiva, triste ou decepcionado. Mas isso na minha opnião não se ensina na adolescência, mas na infância. Quando eles estão de ouvidos atentos, e irão nos ouvir e querer entender.



Mas porque é tão importante essa fase? Por que parece que não vamos sobreviver?
"Os jovens não possuem o lobo frontal do cérebro totalmente formado, então tudo o que acontece parece ser para sempre" 
Dra Rebecca Hedrick - Psiquiatra infantil.

Quais são os sinais que o adolescente precisa de ajuda?  Alguns deles:
Mudança drástica no comportamento;
Queda nas notas escolares;
Brigar com colegas, pais ou figuras de autoridade;
Abuso de substâncias.

Se você se sente como a Hannah lembre-se: Suicídio nunca deve ser uma opção.

Por mais inútil que você esteja se sentindo, por mais dor, por se achar que só causa problema na vida dos outros. Você sempre valerá a pena. Cada pessoa é única e sempre vai fazer muita falta a alguém, sempre alguém sentirá muita dor, muita falta.

As vezes você pode achar que seus problemas não tem solução e não adianta nada falar com alguém. Mas há sim, tente, tente de novo, mas não desista da sua vida. Não tem problema as coisas não estarem do jeito certo, do jeito perfeito, as coisas vão melhorar, não ficará assim para sempre. Acredite.

E para nós que a vida está corrida, que não estamos depressivos, mas temos coisas demais a fazer, a se preocupar. Que cada um de nós tomemos um tempo de nossas vidas para dedicar ao outro. Nunca temamos em dizer "eu te amo" " sinto sua falta" " Você é importante" "Obrigada por fazer parte da minha vida".


Aline Viana.

Comentários

  1. Oi Aline
    Comecei a assistir ontem, e tô contando as horas p chega a noite e assistir a Fita 1 lado B!

    Post super importante!!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi fer. haha vicia demais!

      Obrigada,=.

      Beijos

      Excluir
  2. EU fiz maratona de 1 dia, fiquei maluca com essa série e me identifiquei muito, pois sofri e vi muitos amigos sofrerem no ensino médio.

    Beijos 💜!
    Blog Sara Menezes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Sara! um dia! muito rápido! kkkk
      Realmente todos nós nos identificamos com algo.

      Beijos

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…