Pular para o conteúdo principal

O filho do seu parceiro não é seu concorrente

Por: Fernanda S. Oliveira

[COMPANHERISMO] [ENTEADOS] [PAIS SOLTEIROS]

Há dias venho querendo escrever este texto e ainda que ninguém leia, por falta de tempo ou de interesse, espero aos poucos que lerem que possam se identificar ou partilhar comigo suas idéias também!
Bom, vi estas imagens há alguns dias onde a legenda era “Pai convida padrasto para levar a filha ao altar” ( ou algo do tipo) . Pois bem, essa manchete, imagens e historia, me fez refletir por alguns instantes, porém momentos depois li uma frase que reafirmou meus pensamentos “ Mulher solteira vale mais que mãe solteira?”....
E a partir daí desenvolvi minha reflexão e ela não abrange só as mães solteiras, mas pais solteiros.
Como muitos sabem fui criada por minha mãe e padrasto, ambos vinham de outras histórias, outros filhos, outros momentos. Na infância não tive uma relação boa com meu pai biológico por falta de conhecimento e teimosia da minha parte e não por minha mãe ou meu pai falar mal dele, como muitos já chegaram à pensar, muito pelo contrario, independente de qualquer desavença minha, os dois sempre ressaltaram que eu deveria ter essa aproximação com ele e demorei pra aceitar isso.
Mas o propósito não é esse, o propósito do texto é explicar que quando uma história termina uma nova tem que surgir.

Pais solteiros devem sim seguir em frente, no entanto não devem e não podem esquecer que são responsáveis por outro ser; e as pessoas que se dispuserem a entrar na vida de alguém que já tem um filho devem entender que a criança não é uma inimiga, que ela não é concorrente.
A pessoa que se dispuser a seguir a vida ao lado de alguém que já tem uma história escrita e presente ( a criança), tem que entender que aquele pai ou mãe um dia não irá sair porque o filho quebrou o braço, não ira porque esta com dor e que se fizer isso sentirá culpado, pois pais de verdade desejam ver o filho bem !

Uma pessoa que já tem um filho tem todo o direito de recomeçar e pra ela nem sempre confiar novamente em alguém é fácil, principalmente porque ela não entra sozinha nessa empreitada, mas, a pessoa que esta com interesse de ajudar nesse recomeço tem sim que entender que não é necessário se postar como pai ou mãe dessa criança, mas um parceiro pra pessoa que você escolheu e isso nem sempre é fácil; principalmente porque é do ser humano ser egoísta e colocar-se a frente do outro.
Não seja essa pessoa, faço do filho do seu (ua) amado (a) seu amigo, não precisa ser seu filho, mas faça com que esse serzinho entenda que ele não perdeu o pai/mãe, apenas ganhou mais uma pessoa que estará torcendo por ele, onde e em qualquer lugar que esteja.

Por que amar aquilo que é seu é fácil, mas aprender amar o passado/presente/ futuro do outro é uma lição diária, mas compensatória, pois em uma relação de amor, ninguém perde, vai por mim 


Fernanda S Oliveira,

Bacharel em Direito, feminista e opinadora nos tempos livres

Comentários

  1. Gostei da postagem, já tive namorados que tinham ciúmes do meu filho.
    Infelizmente ou a pessoa entra pra fazer a diferença ou então o relacionamento não dará certo.


    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. É preciso compreensão e união. Relacionamentos são pra somar (Incluindo nossos filhos).

      Beijos

      Excluir
  2. Eu ainda não tive relacionamento depois dos meus filhos, por enquanto nem me vejo com alguém. Mas já fui concorrente de todas as namoradas que meu pai teve hahaha. Eu era muito mimada pelo meu pai, e quando ele se metia com alguém, já virava minha inimiga, pois na minha cabeça elas iam tirar ele de mim. É um pouco complicado na minha cabeça, tem que haver bastante compreensão mesmo, paciência principalmente.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Uma boa partilha não tenho filhos nem sequer esta experiência mas penso que isso nem sequer é saudável ou a pessoa que vai partilhar a vida connosco e entende que já temos uma vida com filhos e sabemos respeitar as coisas ou simplesmente as coisas não resultam.
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…