Pular para o conteúdo principal

Diminuindo gastos nas opções de lazer

Participei de uma palestra um dia desses com um Terapeuta Financeiro que a escola da Lara disponibilizou.
Pretendo compartilhar todo o aprendizado por aqui, já que a educação financeira pode começar a partir dos 3 anos de idade. E sabemos o quão importante ela é para o futuro, não é mesmo?
Hoje gostaria de compartilhar o que mais serve para os pais no momento de
a atual situação econômica do país.
Sabemos que cortar gastos é o primeiro passo quando a situação aperta. Mas precisamos abrir mão da nossa rotina, daquilo que as crianças estão acostumadas, ou da diversão?
NÃO!
Nós podemos continuar, porém precisamos mudar hábitos. 
Para os passeios que costumam gerar gastos porque as crianças sempre querem isso ou aquilo, basta procurar lugares que não necessitem de "dinheiro" necessariamente. Que seja algo natural. Como um piquenique no parque (economizamos na alimentação, porque já levaremos de casa, nos brinquedos que naturalmente já terão no lugar que escolher e etc.).
Quanto a escolha do lugar, nem sempre precisa um grande parque, pode ser um lugar simples, uma chácara, um parquinho de bairro. O que conta nessas horas é criatividade. É quando podemos aproveitar ser mais família. Será bom para o bolso, para as crianças, para o casal.
E onde tiver natureza, sempre terá paz. ❤

Ainda não entendi como meu celular fez a imagem virar gift, mas amei Larinha em gift. rsrs
Aqui ela ainda com dois anos em um dos nossos passeios ao ar livre.


Essa foto é da última semana. Nesse parque tinham várias famílias aproveitando com os filhos.
E é incrível como esses momentos proporcionam aproximação entre nós.
Além de atingirem o objetivo de redução de gastos.
Nesse dia Lara não quis nada, mas o máximo que gastaríamos seria um picolé e uma água.


E por aí? Como tem sido as opções de lazer quando se precisa diminuir os gastos?






Comentários

  1. Nós amamos passeios a parques. Por aqui as meninas raramente vão em shoppingns, por mais que fazemos combinado antes não faz sentido ir ao shopping e não comprar nada pois o objetivo dele é compras. Saimos sempre em parques. Para quem é de Campinas tem Lagoa do mingone, os famosos bosques, Lagoa Taquaral, Parque Chapadão, só levar toalha, piquenique e as crianças rs.

    ResponderExcluir
  2. Por aqui quase n saímos depois q Mari nasceu. Antes íamos mais em praça, bosque. Domingo passado fiquei super feliz, o padrinho dele perguntou se podia levar ele ao Museu. E ele levou toda a turma, menos a Mari pq ainda é bebê. Fiquei feliz pelo Jorge que quase não tem esses passeios, sei q precisa. Me sinto até triste as vezes, queria fazer tanta coisa c ele e acabo não fazendo quase nada, daqui a pouco cresce, e perdemos nossos momentos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Gravidez - Enjoos, como lidar com eles

E quem viaja de ônibus todos os dias, então?!
Há diversas teorias do porquê os enjoos acontecem com frequência na maior parte das grávidas no primeiro trimestre: níveis de hormônios que se alteram, progesterona que deixa o estômago "preguiçoso", mulheres que tem alto nível de hormônio hcg, etc. Comprovados ou não, eu particularmente tive muitos enjoos, a maioria deles no ônibus quando voltava da faculdade.

Primeiro passo para evitá-los: *sentar no primeiro banco, isso é indiscutível (foi então que percebi que aquela reserva para gestantes faz todo o sentido).
*não estar de estômago vazio - se eu não comesse algo antes de pegar o ônibus, claro, nada gorduroso, eu sempre vomitava (uma parte extremamente constrangedora)  *comer bolachas do tipo água e sal antes de se levantar (em casos de enjoos matutinos, ou pós sonecas) *NUNCA coma maçã (SEMPRE, absolutamente sempre, todas as vezes que comi maçã em viagem eu passei pela constrangedora situação de parar o ônibus - claro que varia p…