Pular para o conteúdo principal

Antes de ensinar a GUARDAR precisamos ensinar o BRINCAR

Não sei como é com vocês mas por aqui existe uma pressão muito grande para as pequenas aprenderem guardar os seus brinquedos.

Eu sempre achei importante ensinar mas não consigo pegar muito no pé. Porque chega um momento que a gente começa a gritar para elas guardarem os brinquedos.





Um parente meu conversando numa roda, citava uma amiga que tinha dois filhos e eles tinham muitos brinquedos e não brincavam, preferiam o celular porque sabiam que se brincassem teriam que guardar, e eles não queriam guardar.

Mas eu acredito que mais importante que guardar depois é brincar antes. Se a gente ficar focando no guardar as crianças não vão brincar mesmo!

Olha, pode brincar...mas depois você vai guardar tudo viu?!
Em tempos de celular, tablet, notebook, wi-fi, 3G, 4G, jogos eletrônicos, está cada vez mais difícil as crianças brincarem de verdade.

Os tempos mudaram, existe uma mídia enorme em cima das crianças. Precisamos mudar nossa maneira de falar com elas.

A gente fala fala fala.

Sai desse computador! Larga esse celular! Vai sair na rua! Vai brincar com as crianças!
Mas quando eles saem, se lambusam de terra, espalham os brinquedos pela casa, a gente reclama!

(E falando em eletrônicos... Nós, PAIS, precisamos controlar nosso acesso aos eletrônicos também! Do que adianta controlar o deles mas nosso celular não sai da nossa mão?)

As crianças estão brincando tão pouco que estamos precisando sentar junto com eles para ensiná-los a brincar. Alguns nem sabem como fazer!

Vamos sentar mais no chão, contar as nossas brincadeiras de infância, o que nós éramos capaz com uma folha de papel e caneta, o que faziamos com um pedaço de madeira e uma bolinha, no que a terra podia se transformar. Deixem o wi-fi e 3G desligado ou em modo avião, para que esse momento fique somente entre vocês.

Por favor, nada daquele papo de:

No meu tempo....


Nossa infancia foi incrível porque a infância vivida plenamente SEMPRE vai ser boa, independente da geração x, y, z, 1900 ou 3000.

E que nossa lembrança de infância junto com a imaginação deles nos guiem a fazer dessa única e pequena infância durar uma vida inteira na memória. Ficará na lembrança aqueles dias mágicos que vocês tiveram juntos, sem nenhum celular ou eletrônico no meio.

DEPOOIISSS .... guardaremos os brinquedos!


Comentários

  1. Pois é, aqui tb tem essa pressão
    Na vdd a família do meu marido pressiona mt tudo!
    Desfralde, leite, brinquedos, comportamento e assim vai
    Meu filho vai ser criança, vai errar, vai aprender e pronto!
    Tb tô tentando um jeito de fazê-lo guardar os brinquedos dele


    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai problemão esse negócio de pressionar. Desfralde aqui errei de tirar cedo da minha primeira. Com 5 anos tem incontinencia urinaria, sempre vazando xixi.

      Deixem as crianças serem crianças, ne!

      Beijão fer

      Excluir
  2. Sempre adoro seus textos. Sim!! muitas vezes frases positivas as crianças já encaram tudo de outra forma. :) E sim... o exemplo costuma ser o melhor remédio :)

    beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Andie. Exatamente como penso.
      Obrigada pela visita.

      Beijões!

      Excluir
  3. Perfeito. Acredito que o grande problema não está nas nossas crianças. Vivemos num mundo de preguiçosos como um todo. A comodidade de um filho sentado numa cadeira como um zumbi mexendo no celular não se compara aos joelhos ralados, aos ossos fraturados e às roupas sujas de uma subida na árvora, um jogo de futebol ou uma brincadeira no parquinho. O problema é que os pais estão preguiçosos para levarem seus filhos a estes lugares e ensiná-los a brincar.
    Do outro lado, temos um zoneamento urbano totalmente desfavorável. Acabou aquela coisa de campinho de bairro, parquinho próximo de casa e rua com pouco movimento para fechar e fazer de "campinho". Trancar as crianças em casa só vão aproximá-las ainda mais dos "monstros" tecnológicos.
    Belíssimo Post, Aline. Parabéns.

    Mitos, Rock & outras Filosofias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Yuri. Realmente o zoneamento urbano atrapalha muito. Mas temos crianças criativas, mesmo com pouco espaço eles conseguem se divertir. É só preciso estimula-las e sairmos dos eletrônicos.

      Amei sua visita!
      Abraços.

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…