Pular para o conteúdo principal

Disciplina permissiva, quando o mais fácil é aceitar as vontades da criança.

A disciplina permissiva é antagônica à Disciplina Punitiva ou Autoritária. Ambas são extremistas.

Na punitiva ou autoritária, a criança nunca é entendida, seus sentimentos são desconsiderados e os pais punem seus filhos quando acham necessário. Na permissiva os pais deixam a criança fazer o que quiser e ela se torna o lider da casa.





Constantemente nós ouvimos os pais dizerem que a criança quis aquele brinquedo mesmo que muito caro, ela quis assistir aquele desenho mesmo que era impróprio para sua idade, ela quis comer tal coisa mesmo que fazia mal a sua saúde.

É quando a criança escolhe o que a família vai comer, onde passear, que horas acordar, que horas dormir.

Nessa disciplina não há discilina, os pais não tem vida quando estão com elas, as crianças escolhem tudo o que querem. Muitas vezes os pais permissivos dizem que ceder tudo é amor.

É comum os pais evitarem qualquer coisa que possa deixar seu filho triste, ou machucado. Não deixam os filhos brincarem ao ar livre, cedem aos eletrônicos. Se o filho estiver com problemas na escola, mudam ele de sala, ou de escola. Se estiver com notas baixas a culpa é sempre da escola, nunca do filho.

É cientificamente comprovado que assim como a Disciplina punitiva a permissiva traz grandes problemas na criança e no futuro dela.

Logo que a criança começa se socializar, principalmente na escola, há um choque de realidade. Ela não entende porque não pode mandar nos colegas, porque não pode escolher onde ir, porque a maioria decide. Pois ELA é a maioria em casa.

Mesmo que na escola os educadores tentam ensinar, de nada vale se os pais não exemplificarem em casa.

Essa criança começa a ficar insegura, não tem amigos verdadeiros, não entende porque tem que ter notas boas na escola, nem porque ter bons comportamentos. Ela omite seus sentimentos pois não sabe lidar com eles e fica presa à máscara da felicidade, pois a verdadeira felicidade é quando coseguimos superar nossas dificuldades, nossas tristesas e decepções, e isso ela não aprendeu com seus pais.

Futuramente quando essa criança for adulto, como será o relacionamento dele com seus conjugues ou namorados? Bem provável que ele nunca entenda os sentimentos do parceiro, que seja indiferente e frio. Na vida finaceira um adulto sem limites, não consegue controlar seus impulsos, pois ele aprendeu que o que ele deseja vale muito mais que um nome sujo ou contas impossíveis de serem pagas.

Existe um meio termo? Entre Permissivo e Punitivo? (Veja Aqui a ciência explicando sobre a Disciplina Punitiva).

O meio termo é a Disciplina Positiva. Onde os sentimentos dos filhos são ouvidos, decepções e tristesas acalentadas. Onde os pais ensinam a lidar com suas frustrações, que muitas vezes vem dos pais que não permitiram seu desejo inapropriado. Ou como o blog de Pais sem pressa diz: Ser quem quiser não é o mesmo que fazer o que quiser.

Para quem quiser saber mais sobre Disciplina Positiva:
10 dicas sobre a Disciplina Positiva
Criação com apego, Paizinho Vírgula
O que a ciência diz sobre as palmadas?

Aline Viana

Comentários

  1. Oi Aline
    Pra td precisa meio termo né?!
    Ser 8 ou 80 n dá, ainda mais na criação dos filhos
    Eu tento sempre agradar, mas se vejo que n dá, n dá e pronto, explico e acabou. Amar é dar carinho, atenção, mas tb é dar limites e disciplinar!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, amar não é ceder sempre.
      Beijos fer

      Excluir
  2. Eu tive os dois tipos dr criação, e posso dizer que trás grandes priblemas quando adulto. Pq eu sou do tipo 8 ou 80. Tenho dificuldade para aceitar quando as coisas não saem do jeito que eu queria que fosse, não gosto de ouvir um não quando é algo do meu interesse, já melhorei bastante, amadureci mais ainda com a maternidade. A punitiva, me fez uma criança revoltada, meus pais se separaram defibitivo quando eu tinha 5 anos, viemos morar na casa do meu avô, que por tudo batia na gente, até uma queda que eu pegava, apanhava por ter assustado ele, não podia fazer barulho, correr. Foi a pior fase. Eu não quero dá esse tipo de criação p meus filhos. Eu erro muito como mãe, não chego nem perto da perfeição, mas tento educar como posso.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…