Pular para o conteúdo principal

Sobre ser mãe e seguir instinto

Ser mãe não é nada instintivo. O instinto que temos é de proteção, quando nossas crias estão em perigo, viramos mãe lobas ou leoas. Mesmo que o perigo seja a altura do balanço, ou subir em cima da cadeira. Mas ser mãe mesmo, não é instintivo.

Eu fico doida quando me dizem isso. Amamentar não foi instintivo, parir não foi (cesárea inclusive, por que meu instinto de proteção ouviu o médico dizendo que minha bebê iria morrer. Quem quase morreu foi eu, de tanta dor desnecessária), quando as crianças choram o dia todo, meu instinto não é acalentar é fazer elas ficarem quietas, introdução alimentar, doençinhas, creche, educar, ensinar. Nada disso é instintivo! Tudo isso é resultado de muita informação, muita leitura e emponderamento.

Apenas parem de dizer isso às mães! Vocês estão ensinando às gestantes que vai acontecer uma mágica quando o bebê nascer, que ela simplesmente não sofrerá a dor de perder uma parte dela, de mulher. Que quando o bebê nascer ele vai mamar lindamente. Não! Amamentar é puro estudo, mesmo estudando muito antes do bebê nascer ainda é muito provável que vai aprender na prática e mesmo assim vai precisar de alguém com mais informações! Quando nasce uma mãe morre aquela mulher e precisamos passar por esse luto, às vezes duram anos!

Estão dizendo às mães que quando surtarem com seus filhos por estarem cansadas não é normal. Que sentir dor na amamentação não é normal. Que se sentir depressiva no primeiro mês do bebê não é normal (Até dizem assim: Mas por quê? Você tem tudo! Queria tanto esse bebê e agora está triste?). Que se sentir perdida e chorar por não saber o que fazer não é normal. Que pensar “O que eu estou fazendo de errado?” não é comum.


Se você nunca pensou em fugir de casa, se nunca quis jogar a criança contra a parede, ou vontade de chorar desesperamente por não saber o que fazer. Ótimo! Fico muito feliz por você! Mas pare de disseminar que mãe perfeita você é, porque a maioria de nós sente isso pelo menos uma vez na vida senão todo dia.

Aline Viana

Comentários

  1. Muito bom o texto!
    Realmente, o que parece é que ao se tornar mãe vc deverá ser uma santa! Nós choramos, gritamos, piramos, enfraquecemos e choramos de novo hehehehe somos mães sim, mas somos humanas!

    Bjooooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como! rsrs

      Obrigada pela visita, Fer.

      beijos;

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…