Pular para o conteúdo principal

E se eu não amamentar?

Seu filho não vai morrer!

Lógico, é o sonho de toda mãe querer amamentar, além de ser o melhor alimento para a criança na primeira fase da vida. seria ótimo ter uma amamentação exclusiva até os 6 meses, não mesmo? Melhor ainda se estendesse até os 2 anos, conforme recomendado.


Mas tudo bem se você tentar, tentar, e não conseguir. Não é culpa sua. Você tentou, não deu. Há outras formas de demonstrar amor aos filhos, mesmo que não seja líquido. Fica feliz, tu terá milhares de forma de amá-lo e cuidá-lo. E estaremos do seu lado sempre, para o que precisar. Só não desista de você. Tente ao máximo, mas se chegou no limite, tudo bem também, feche os ouvidos para os que te criticarem, recompensa teu amor de outras formas. Seja livre, feliz! Você não deixou de ser a melhor mãe do mundo por isso.





👉Esse post no instagran me comoveu e acredito que muitas mães que passam por isso vão entendê-la:


Eu achei que amamentar fosse tão automático quanto ser mãe: se quando nasce um filho, nasce uma mãe, então essa mãe vai amamentar. Não necessariamente. Não se tiver mamilos invertidos, prótese, redução de mama, se sentir muita dor, o leite não descer ou se secar - e o meu secou. Para uma mãe que sempre sonhou em viver o momento mágico-de-filme do filho mamando no peito, do olho no olho, da mãozinha segurando o nosso dedo, a notícia da mamadeira cai como uma bomba. Chorei, me julguei e repassei a gravidez inteira na minha cabeça tentando descobrir onde errei - se foi o chocolate que comi, a noite que não dormi ou aquela longa escada que subi. O meu sofrimento durou até eu dar a primeira mamadeira. Foi quando descobri duas coisas: eles também olham no nosso olho e a mãozinha também segura o nosso dedo quando mamam na "dedêra". Descobri também que esse é um assunto polêmico e não estou aqui para polemizar. Se eu posso usar minha imagem para ajudar minimamente que seja, escrevo por isso - principalmente para mulheres na mesma situação que eu. E se você é uma delas, aí vai a minha terceira e melhor descoberta: o amor que bate no peito, bate também na mamadeira.
Uma foto publicada por Fernanda Gentil - Oficial (@gentilfernanda) em


Comentários

  1. Entendo muito bem como é isso, quando minha filha nasceu tive pouco leite e mesmo seguindo todas as simpatias que me indicavam nada fazia o leite descer e eu não podia deixar minha filha com fome, tive que dar fórmula pra ela mesmo sabendo que muitos acham isso errado, mas cada caso é um caso!

    Obs: mudei o endereço do blog, então é quando acessar o endereço antigo será direcionado para o novo, ok?
    Beijos 😘
    Minhas Inspirações por Sara Menezes

    ResponderExcluir
  2. Eu tive dengue quando minha pequena tinha 4 meses. Aí não podia amamentar nesse tempo... quando sarei da dengue já não tinha mais um pingo de leite. Minha sorte foi que ela pegou a mamadeira de boa.

    Fiquei triste por não poder amamentar o tempo necessário, mas é como você disse... nossos filhos não morrer por isso. Hoje ela é uma menina forte e saudável :)

    Beijo !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Julinha e os Vídeos - Canal do Youtube |

    | Cadastre-se no Clixsense e Ganhe por Clicar em Links |

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Que chato, mas importante é que mantiveram a ligação de mãe e filha! E como isso é lindo.

      Obrigada pela visita,

      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Bruna
    O mundo materno tem muitas idealizações né?!
    E quando algo sai do planejado nos sentimos culpadas, incapazes, inúteis... Arthur mamou até 14 meses, e enquanto muitos criticam a mãe que não amamenta, eu era criticada por amamentar demais...
    Pq meu filho já tava um rapazinho e era feio 'ficar no peito'
    Eu parei de amamentar por opção, por saúde mesmo, ele mamava em livre demanda, inclusive dormia na cama comigo pra facilitar
    Eu já estava com crise de coluna (tenho escoliose) por causa da posição pra dormir, meu peito tava sempre machucado de tanto ele mamar e ele passou a não querer outros alimentos, só o peito...
    Eu vivia stressada, cansada, sem ânimo, então pra ter qualidade de vida e poder curtir meu pequeno, decidi parar de amamentar!

    Ser mãe é difícil, principalmente por tudo que querem nos impor, por todos que se sentem no direito de tentar interferir ou criticar
    Ainda bem que o amor infinito que sentimos pelos nossos pequenos está acima de tudo isso!

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, disse tudo! Muitas idealizações, e que somos obrigdas a seguir, se não seguirmos somos culpadas.

      Amei seu comentário, estou totalmente contigo.

      Obrigada!

      Beijos,

      Excluir
  4. Bruna! Adorei o texto e o ponto de vista. Minha mãe não me deu o peito uma unica vez, quando tive minha filha meu maior desejo era de amamentar, foi o maior desafio que enfrentei na vida, os piores dias que eu vivi foi o inicio da amamentação, mas com muita perseverança consegui amamenta-la até os 6 meses, quando ela não quis mais. Sofri mas passou. Fico orgulhosa de saber que consegui amamentar, mas não recrimino quem não o faz porque sei o quão difícil é. Mas seja qual for a decisão tomada saibam que com certeza é o melhor para o bebe. Afinal ser mãe é muito mais do que um par de peitos cheios de leite.
    Beijos

    http://podernasmaos-podernasmaos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…