Pular para o conteúdo principal

Você pode ser o que quiser!

Sim! Esse é o post...

Meio clichê?!

Uhm.. talvez..

Mas já ouviram dizer que existem coisas que acontecem na nossa vida e que teremos que abrir mão de outras?

Filhos, por exemplo.

Vivemos numa sociedade em que eu ser mãe universitária é um grande erro (sim, muitos nos condenam claramente). E é por isso que luto todos os dias para mostrar as mães que elas podem tapar os ouvidos e seguir os sonhos que quiserem ter.

Hoje lento a matéria da Uol (Aqui) sobre os relatos de mães universitárias e a dificuldade que passam, deparei-me com os seguintes comentários:



Fiquei triste, chateada, indignada com o que li.

"Não faça coisas que obviamente tornarão sua vida mais difícil".
Tá ok. Então também não trabalhem, amigos. Porque isso tornará sua vida mais difícil, você não terá tempo para sua faculdade, nem sua academia. Ah!
Então pessoas assim pensam o que? Que a vida é fácil em todos os âmbitos e que ser mãe é uma dificuldade insuperável?
Pois bem, amigo, para você eu digo que sou mãe, estudante, estagiária e minha filha é tão apegada quanto qualquer outra. Saudável, inteligente e feliz. Mas sabe porque isso? Porque EU aprendi que a facilidade da vida não depende do que eu tenho nela e nem das coisas que faço, mas da forma que faço cada uma e como me dedico.
Mães tem uma experiência incrível que você jamais terá, pode começar observando pela sua: ela nunca erra nos conselhos não é verdade? E como ela aprendeu tudo isso? Com as dificuldades da vida de mãe! E isso inclui ter cuidado de você.

"País de gente atrasada"
Só para constar os países de primeiro mundo a educação vem em primeiro lugar, a licença maternidade para o trabalho chega a ser de um ano, e em países como Portugal, por exemplo, a assistência a estudante gestante é garantida por lei. País de gente atrasada não porque nós mães universitárias atrapalhamos e muito menos atrasamos, pelo contrário, é por pessoas como nós, que lutam pela melhor formação possível que o país tem melhorado no quesito educação dos filhos.
Porque, por sorte, ainda conseguimos estudar e ir além do que esperávamos e com isso sermos mães melhores para nossos filhos e consequentemente educá-los de forma melhor para o país. Nisso, tendo uma base melhor o futuro também será.

"O bom senso e ética seria trancar a matrícula"
Tá ok. E a questão da reportagem é justamente essa, por falta de assistência aos cuidados do recém nascido (dentre eles ter que ir a faculdade para realizar uma prova que o professor não dispensou) é que muitas tem que trancar a matrícula.

Ainda vivemos em um mundo onde o pensamento fica abaixo do esperado. Onde o preconceito surge de qualquer coisa a todo tempo.
Acha mesmo que nós fazemos faculdade por diversão?

Não meus queridos, eu te garanto que eu adoraria estar na minha casa brincando com ela o tempo todo. Te garanto que seria muito mais fácil pra mim não ter que ler o Vade Mecum enquanto ela assiste televisão ou brinca de massinha, ou até mesmo risca minhas doutrinas.

Mas o mundo que vivemos exige formação, competência, experiência, e se você não tiver nada disso, seu filho será um filho de ninguém. Tudo bem, ele pode ser o filho da melhor mãe do mundo que decidiu cuidar da casa, mas se eu tenho competência pra me formar numa faculdade de Direito, sem nenhuma DP, passar em concurso público, escrever para um blog, brincar com ela, fazer comidinhas saudáveis, dormir na mesma cama dela, e todas as coisas de mães universitárias e mãe em geral, então eu não uso o bom senso e sou antiética?

Desculpa meus caros, mas acho que o país não está atrasado porque buscamos uma formação para sermos mães melhores pros nossos filhos e até mesmo boas profissionais para o mercado; acho que o país está atrasado porque ainda existem pessoas (infelizmente) que nos veem como culpadas por apesar da maternidade tentar seguir uma vida normal (como se fosse uma doença contagiosa), e além disso por irmos além de toda essa ignorância que muitos ainda tem.

Agora pra vocês que estão do meu lado, obrigada por lerem o desabafo. E independente da dificuldade que você tenha na sua vida (seja a maternidade na juventude ou qualquer outra), tape os ouvidos para essas coisas que virem, lerem ou ouvirem. Use como desafio, mostre que estão errados em pensar assim, vá em frente. Não desista porque alguém disse que é errado. Não dê bolas aos preconceitos. Se você tem dom de ser mãe e cuidar da casa não escute os que dizem que você tem que trabalhar, se você tem uma profissão maravilhosa, não escute os que dizem que você tem que ficar em casa, e se você tem o sonho de se formar, se forme! O que quer que você faça sempre vai ter gente criticando. Mas só você sabe a real dificuldade e só você vai conseguir superá-las. Existem críticas construtivas que devemos observar, mas existem muitas críticas destrutivas que apenas devemos ignorar ou usar como barra para saltar além!

Confie em você! Se estás na mesma situação que eu não desista! Teu filho ainda terá muito orgulho de ti. E é o que realmente importa!

Quer estudar, estude! Quer ficar em casa, fique! Quer dançar, dance!

E não esqueça de aproveitar o tempo que tiver com o seu pequeno. Isso será o que fará valer a pena qualquer esforço.





Comentários

  1. oi Bruna
    primeiro quero agradecer por estar seguindo meu blog, e já estou seguindo vc. gostei muito do seu texto, e sim acredito piamente que podemos ser o que quisermos!!!
    sucesso sempre!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu, obrigada pela visita e por estar seguindo *-*

    Conseguiremos, apesar das dificuldades!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Bruna! Me vi descrita nesse texto, pois mesmo ainda estando gestante pessoas vem me dizer que não vou conseguir voltar a trabalhar depois que meu filho nascer...que o certo é ficar com o filho.. ok, mas e como vou sustenta-lo?? E outra, a vida é nossa, os filhos são nossos, nós sabemos o que é melhor para eles!!! Amei seu texto!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Em vez de nos apoiarem, encontrarem meios de que sejam melhor pra todos, nos criticam.
      Mas pode ter certeza que se sua escolha fosse ficar em casa cuidando do seu bebê também seria criticada.
      Obrigada pela opinião.

      Beijos.

      Excluir
  4. Nossa Bru, arrasou na matéria! Muito boa as respostas à esses 3 infelizes. Acredito que sim, podemos ser o que quisermos, muitas mulheres só procuram ir em busca de seus sonhos depois que se tornam mãe, pois além de querer ter seu sonho realizado, estão preocupadas en dá um futuro melhor aos seus filhos. Eu tenho uma grande admiração por você, além de ser jovem, estudante de direito, trabalhadora, é uma excelente mãe, parabéns! 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own Tay.. assim me emociona.. rss

      Obrigada pela admiração, mas é justamente isso que tento mostrar a todas as mães que passam pela dificuldade de superar os preconceitos seja no que for.

      Conseguimos sim! Somos fortes! 😘

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Oiee!! gostei muito do texto e sim concordo; podemos ser o que quisermos; essa sociedade é muito autoritária; mais ainda bem que existe pessoas como vc que tem opinião critica !!

    meu blog aqui , dá uma passada lá espero que goste!! Ah; e se gostar nao esquece de seguir hin floor :)

    Versos em Batom

    FanPage do Blog

    beijoos e ja te seguindo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela opiniao, Gabi!

      Obrigada pela visita e pelo apoio.

      Beijos.

      Excluir
  7. Pela internet as pessoas podem ser o que elas quiserem né? Quero ver frente a frente.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Thami.

      Obrigada pela opiniao.

      Beijos.

      Excluir
  8. Muito obrigado minha querida :D Fico super feliz :D

    Acho que a sociedade de hoje em dia está condenada a máscaras. A liberdade é demasiada principalmente para pessoas que não sabem fazer bom uso dela. Ter um computador e saber escrever o que quer que seja para insultar alguém é fácil... O difícil está em educar.

    NEW OUTFIT POST | Baby Blue.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela opinao Miguel. Resumiu tudo. Nossa sociedade esta condenada a mascaras.

      Obrigada pela visita.

      Excluir
  9. Que texto bem feito. Super apoio com seu posicionamento. Tenho muitos casos de gravides na juventude aqui no meu bairro. E muitas optaram por ter a vida de mãe... Mas é exatamente o que você colocou ''EU aprendi que a facilidade da vida não depende do que eu tenho nela e nem das coisas que faço, mas da forma que faço cada uma e como me dedico'' Nós podemos fazer o que quiser, quantas coisas quisermos é só nos dedicar <3. Parabéns :) Seguindo.

    Blog Carol Pereira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela opinao Carol! nos chegaremos lah.

      Beijos.

      Excluir
  10. Concordo muito com seu texto, podemos ser sim o que quisermos :)
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Carol. Podemos e seremos.

      Beijos.

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…