quarta-feira, 29 de junho de 2016

Anili Retrospectiva - Tema Safari

Hoje trazemos o vídeo- vida dos lindos Lucas e Nicolas, do canal ANILI Restrospectivas vem todo cheio de fofura e super combina pra quem quer festinha desse tema.

Dá pra usar o vídeo como lembrança em CD's personalizados, transmitir na hora da festa em um telão ou até mesmo usá-lo como convite também em Cd's. Fica a critério de como a mãe vai fazer a festinha.

Espero que gostem. Eu adorei!





Segue também algumas ideias para festa infantil com o tema safari:
















E aí? O que acharam? Que tema querem ver aqui? Só deixar nos comentários.

Beijos. *-*


domingo, 26 de junho de 2016

Diálogos com Lara 😍

Conversas de domingo a noite...


Estávamos nós assistindo apresentações de ballet:

"- Mamãe, quelo um vitido de laço na costa vimelho de balarina"


Traduzindo: Um vestido de bailarina, vermelho, com um laço na costa. 🎀 👗







Filha de peixe...peixinho é. 😂💗😍

sábado, 25 de junho de 2016

Minha Cesárea Desnecessária - Por Aline Bortoloto Viana

Faz 4 anos que a Nicole nasceu,4 anos que eu tento entender o que aconteceu com o meu parto. Lia muito, me informava. Na época não se falava muito em parto humanizado e doulas. Muito menos a diferença entre um parto na rede pública, pelo convenio e particular.




Meu parto foi pelo convenio. Minha médica era defensora da cesárea, mas mesmo assim não desisti. Com 37 semanas iniciou os pródomos(que até hoje eu não sabia que se chamava assim e nem que fazia parte das fases do parto, apenas sabia que não era hora). Médica fez toque nessa época, 2 cm. Fiquei mega feliz achando que o parto estava encaminhando.
Deu 39 semanas e 3 dias, toque de novo(nem precisa dizer o quanto desnecessário foi isso) e não tinha dilatado mais, óbvio porque eu ainda não estava em trabalho de parto ( mas eu não sabia e nem a médica quis desmentir meu receio). Veio com os papos que algumas mães não conseguem parir por falta de dilatação. Era sexta e marcou cesárea para segunda.
No domingo à noite eu e meu marido ainda nos aventuramos, RS. E eu fiz tudo que eu podia para ver se ajudava entrar em trabalho de parto, inclusive namorar um pouco. E já comecei a sentir contrações, umas 2h da manhã da segunda senti meu tampão sair, meu marido tinha trabalhado no domingo e ido dormir tarde então não o acordei e fui contando o tempo entre as contrações e o tempo de cada uma delas.
Chegou a 4 min de intervalo e duração de 50 segundos. Segui os conselhos da minha mãe, que dizia que quando chegava intervalo de 4 min. ir para o hospital, e fui. Hoje eu sei que eu tinha entrado da fase latente do parto. Fase que a mãe ainda consegue conversar nos intervalos, caminhar, comer. Eu achei que logo eu ia parir e não queria parir em casa.



Médico me disse: Você ainda não dilatou o suficiente, sua médica vem as 5h para fazer o parto. Um balde de água fria, me senti muito mal, sozinha e com frio. O que me confortava era a ilusão de achar que estava salvando minha filha. Fiquei sozinha, sentindo contrações, deitada numa mini maca de lado, uma posição mega desconfortável sem travesseiro, segurando a cabeça com a mão esperando a médica chegar, ainda sentindo contrações, vendo meu parto ir água a baixo.



Chegando lá me fazem o toque (mais uma vez desnecessário) e ligaram pra minha médica que trabalhava lá (mais desnecessário ainda). Estava com 3 cm. Eu muito feliz achando que ia conseguir meu parto e ao mesmo tempo com medo porque ainda não tinha dilatado muito. (Hoje eu sei que a fase latente chega até 6 cm e pode durar horas).
Tenho muita vontade de chorar cada vez que lembro, por causa de comodismo médico perdi o meu sonho de ter um parto normal. A única coisa que me faz feliz é saber que a Nicole estava pronta para nascer.



No parto existe várias fases. Pródomos( pode durar horas,dias ou semanas. São contrações irregulares e espaçadas. Barriga fica dura e são bem espaçadas.) Fase latente(tem intervalos irregulares, pode durar de 30 a 50 segundos cada contração, elas não são fortes e após elas a mulher ainda consegue conversar, fazer bolo, dormir.) Fase ativa(hora que você sabe que realmente entrou em trabalho de parto, que a muler se concentra somente no trabalho de parto, ainda não tem vontade de fazer força e a mulher pode vocalizar ajudando a aliviar.) Expulsivo(a mulher sente vontade de fazer força, pode parecer com a vontade de defecar.) Circulo de fogo( fase de ardência e queimação no canal vaginal, quando o bebe começa a coroar e nasce) e o parto acaba com o nascimento da placenta.
Eu nunca tinha conhecido as fases de parto. Para quem não sabia como eu e pode ter sido enganada como eu e queira saber a verdade. Leia esse post (Matéria Completa Aqui):
Verdades:

• Não existe falta de dilatação! Toda mulher dilata, só é preciso esperar. Até 42 semanas ainda é tempo.
• Porque inicia o trabalho de parto? É quando o bebê está realmente pronto, alguns o pulmão amadurece com 42 semanas e não com 38,39 como dizem os médicos.
• Seu bebe teve insuficiência respiratória? Saiba que ele nasceu fora de tempo, ele não estava pronto.
• Ah! Mas parto normal é ultrapassado. Entenda; cesárea não é parto e você não é paciente. Cesárea é cirurgia e você é mãe! Não precisa de medico para parir.
• Graças a Deus o médico me aplicou injeção para amadurecer o pulmão! Mas isso não é para acontecer naturalmente?
• Ah mas ele nasceu todo roxinho! Todos bebem nascem roxinhos, dentro do útero a oxigenação é mais baixa, por isso quando o bebe respira pela primeira vez ele começa ficar mais rosado.
• Ah mas tava com o cordão enrolado no pescoço. O bebe não respira pelo nariz, mas recebe o oxigênio pela placenta. Não tem como o bebe enforcar.
• Mulheres sabem parir. Bebês sabem nascer.

        x






Por: Aline Bortoloto Viana,
mãe da Nicole, 4 anos,
e das Gêmeas Lívia e Alice, 2 anos e 5 meses.




sexta-feira, 24 de junho de 2016

Você pode ser o que quiser!

Sim! Esse é o post...

Meio clichê?!

Uhm.. talvez..

Mas já ouviram dizer que existem coisas que acontecem na nossa vida e que teremos que abrir mão de outras?

Filhos, por exemplo.

Vivemos numa sociedade em que eu ser mãe universitária é um grande erro (sim, muitos nos condenam claramente). E é por isso que luto todos os dias para mostrar as mães que elas podem tapar os ouvidos e seguir os sonhos que quiserem ter.

Hoje lento a matéria da Uol (Aqui) sobre os relatos de mães universitárias e a dificuldade que passam, deparei-me com os seguintes comentários:



Fiquei triste, chateada, indignada com o que li.

"Não faça coisas que obviamente tornarão sua vida mais difícil".
Tá ok. Então também não trabalhem, amigos. Porque isso tornará sua vida mais difícil, você não terá tempo para sua faculdade, nem sua academia. Ah!
Então pessoas assim pensam o que? Que a vida é fácil em todos os âmbitos e que ser mãe é uma dificuldade insuperável?
Pois bem, amigo, para você eu digo que sou mãe, estudante, estagiária e minha filha é tão apegada quanto qualquer outra. Saudável, inteligente e feliz. Mas sabe porque isso? Porque EU aprendi que a facilidade da vida não depende do que eu tenho nela e nem das coisas que faço, mas da forma que faço cada uma e como me dedico.
Mães tem uma experiência incrível que você jamais terá, pode começar observando pela sua: ela nunca erra nos conselhos não é verdade? E como ela aprendeu tudo isso? Com as dificuldades da vida de mãe! E isso inclui ter cuidado de você.

"País de gente atrasada"
Só para constar os países de primeiro mundo a educação vem em primeiro lugar, a licença maternidade para o trabalho chega a ser de um ano, e em países como Portugal, por exemplo, a assistência a estudante gestante é garantida por lei. País de gente atrasada não porque nós mães universitárias atrapalhamos e muito menos atrasamos, pelo contrário, é por pessoas como nós, que lutam pela melhor formação possível que o país tem melhorado no quesito educação dos filhos.
Porque, por sorte, ainda conseguimos estudar e ir além do que esperávamos e com isso sermos mães melhores para nossos filhos e consequentemente educá-los de forma melhor para o país. Nisso, tendo uma base melhor o futuro também será.

"O bom senso e ética seria trancar a matrícula"
Tá ok. E a questão da reportagem é justamente essa, por falta de assistência aos cuidados do recém nascido (dentre eles ter que ir a faculdade para realizar uma prova que o professor não dispensou) é que muitas tem que trancar a matrícula.

Ainda vivemos em um mundo onde o pensamento fica abaixo do esperado. Onde o preconceito surge de qualquer coisa a todo tempo.
Acha mesmo que nós fazemos faculdade por diversão?

Não meus queridos, eu te garanto que eu adoraria estar na minha casa brincando com ela o tempo todo. Te garanto que seria muito mais fácil pra mim não ter que ler o Vade Mecum enquanto ela assiste televisão ou brinca de massinha, ou até mesmo risca minhas doutrinas.

Mas o mundo que vivemos exige formação, competência, experiência, e se você não tiver nada disso, seu filho será um filho de ninguém. Tudo bem, ele pode ser o filho da melhor mãe do mundo que decidiu cuidar da casa, mas se eu tenho competência pra me formar numa faculdade de Direito, sem nenhuma DP, passar em concurso público, escrever para um blog, brincar com ela, fazer comidinhas saudáveis, dormir na mesma cama dela, e todas as coisas de mães universitárias e mãe em geral, então eu não uso o bom senso e sou antiética?

Desculpa meus caros, mas acho que o país não está atrasado porque buscamos uma formação para sermos mães melhores pros nossos filhos e até mesmo boas profissionais para o mercado; acho que o país está atrasado porque ainda existem pessoas (infelizmente) que nos veem como culpadas por apesar da maternidade tentar seguir uma vida normal (como se fosse uma doença contagiosa), e além disso por irmos além de toda essa ignorância que muitos ainda tem.

Agora pra vocês que estão do meu lado, obrigada por lerem o desabafo. E independente da dificuldade que você tenha na sua vida (seja a maternidade na juventude ou qualquer outra), tape os ouvidos para essas coisas que virem, lerem ou ouvirem. Use como desafio, mostre que estão errados em pensar assim, vá em frente. Não desista porque alguém disse que é errado. Não dê bolas aos preconceitos. Se você tem dom de ser mãe e cuidar da casa não escute os que dizem que você tem que trabalhar, se você tem uma profissão maravilhosa, não escute os que dizem que você tem que ficar em casa, e se você tem o sonho de se formar, se forme! O que quer que você faça sempre vai ter gente criticando. Mas só você sabe a real dificuldade e só você vai conseguir superá-las. Existem críticas construtivas que devemos observar, mas existem muitas críticas destrutivas que apenas devemos ignorar ou usar como barra para saltar além!

Confie em você! Se estás na mesma situação que eu não desista! Teu filho ainda terá muito orgulho de ti. E é o que realmente importa!

Quer estudar, estude! Quer ficar em casa, fique! Quer dançar, dance!

E não esqueça de aproveitar o tempo que tiver com o seu pequeno. Isso será o que fará valer a pena qualquer esforço.





quinta-feira, 23 de junho de 2016

Festas com Jujubas!! ❤

Quem aí gosta de jujubas?!

Hoje vim trazer ideias super legais tiradas da Página Cantinho da Educação

Particularmente adoro jujubas e acho que com criatividade ficam lindas em qualquer festa.

















































E aí? O que acharam? Me contem nos comentários, e se tiverem mais ideias me mandem...



terça-feira, 21 de junho de 2016

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto com beterraba, porém, se você anda fazendo isso pra “turbinar” o ferro da sua refeição está enganado....💡




💡Sabe por que?💡




Existe o ferro heme e o ferro não-heme, os dois são importantes, porém, são de origens diferentes. O ferro heme vem das carnes e ovos e o não-heme vem de alguns vegetais e feijões. O ferro tipo heme é melhor absorvido pelo nosso organismo, já o ferro não-heme pode ter sua absorção prejudicada por alguns nutrientes como: o cálcio do leite e o oxalato (presente na beterraba). 


Entenderam? 


Comer feijão com beterraba não faz mal, apenas não seria um preparação turbinada em ferro!



Então, você pode sim comer feijão com beterraba, que aliás é uma delicia, porém, não faça isso achando que está turbinando o ferro da sua refeição. Se você quer aumentar o ferro da sua refeição acrescente um alimento rico em Vitamina C, pois essa vitamina ajuda o organismo a absorver mais ferro .



Ah, outra dica! O feijão tem alguns fatores chamados antinutricionais e é recomendado deixar ele de molho de um dia para outro antes do cozimento, mas falarei mais sobre isso em outro post Ok?




Por: Dra. Camila Teles

Nutricionista Clínica formada pela Universidade Estácio de Sá.
 Pós graduanda em Prescrição de Fitoterápicos e Suplementação Nutricional Clínica e Esportiva.
 Bacharel em Nutrição pela Universidade Paulista.

Site: Dra. Camila Teles

Página: Dra. Camila Teles - Nutricionista Clínica

Instagran: @nutricionistacamilateles


segunda-feira, 20 de junho de 2016

Arraiá da Mariana - 2º mesversário

Quando uma mamãe tem ideias e vontade é outra história!

A mamãe Tay fez uma comemoração cheia de charme em ritmo junino para a pequena Mariana.

Eu amei o resultado e me inspirei nessas ideias.

Vejam as fotos:


Me encantei pelo bolo de pipoca. Vou tentar reproduzir.


Painel com baideirinhas, super combina com o tema!

O bolo que não pode faltar! Claro!


Copinhos plásticos decorados com bandeirinhas. Simples e lindo! Amei a ideia!


Mamãe Tay exibindo seu corpitcho pós gravidez (Ela ainda vai nos contar os segredos, rsrs)



Ainda estou encantada por essa fofura de caipirinha



Mamãe Tay, muito obrigada pela colaboração! Grandes Beijos.

Quer saber mais sobre a história dessa mamãe linda?



Se você também tem uma boa ideia e quiser compartilhar me envia as fotos que fazemos um post especial.

E vamos curtir o arraiá! 




quarta-feira, 15 de junho de 2016

Guarda Compartilhada - Entenda como funciona

Melhor opção para as crianças?


Segundo a Lei da Guarda Compartilhada  sancionada em 2008 e que deu muito o que falar entre os pais separados, principalmente entre mães que tinham medo de "perder a guarda" dos filhos, guarda compartilhada é: "a responsabilização conjunta e o exercício de direitos e deveres do pai e da mãe que não vivam sob o mesmo teto, concernentes ao poder familiar dos filhos comuns." (Artigo 1º, §1º, parte b).


Ou seja, não há porque temer que a criança fique sendo transferida de uma casa para outra - até então o maior medo da maioria das mães (Digo mães porque na maioria das vezes são elas que ficam com a maior parte da responsabilidade dos filhos, me desculpem os pais que fazem esse papel, fico feliz que existam pais assim). Porém a guarda compartilhada tem por finalidade apenas dividir em igualdade entre os pais as responsabilidades sobre a vida da criança. "O espírito da guarda compartilhada é a colaboração entre os pais"Giselle Groeninga, psicanalista e doutora em Direito Civil pela Universidade de São Paulo.

Como mãe "solteira" acredito ser essa a melhor forma de convivência para a criança, podendo manter entre ela e os pais uma relação amigável, afinal, ela não tem culpa do que houve entre vocês.
Porém, na prática é muito difícil funcionar. Como estudante do 4º ano de Direito compreendo o quanto a legislação quis ajudar a melhor convivência, porém não devemos ser hipócritas em pensar que funcionará 100%, até porque não é uma lei - por mais bela que seja - que define o caráter de um pai ou de uma mãe.

É preciso muita paciência e compreensão, o que é difícil de se ter, até porque se estão separados é porque não concordavam anteriormente. 



Mas se posso deixar um recado pra qualquer mãe é: esqueça se o pai é um filho da.. ou não, se é maluco ou um bom homem, é apenas no seu filho que tem que pensar, respira fundo, eu sei o quanto é difícil, mas acredite, se a lei criou essa forma por ser compreensiva para a criança é porque realmente é melhor para a criança.

Não desespere-se também, porque guarda compartilhada não quer dizer Convivência alternada, essa é definida pelos pais e você pode bater contra. Até porque não vejo como algo favorável a criança. Ela precisa ter um lar fixo, uma casinha pra chamar de sua.



O que a Guarda Compartilhada previne é que a parte que não mora com a criança tem direito a:
  • finais de semana alternados;
  • buscar a criança na escola uma ou duas vezes na semana;
  • e até dormir com ela nesses dias. 

Vale ressaltar que a guarda compartilhada não influência na pensão alimentícia, sendo que esta (que, como se sabe, abrange mais do que os alimentos -- inclui escola e outras despesas da criança).
"Os alimentos são proporcionais às despesas de cada um dos pais – de quem paga o que", explica a advogada Adriana Aranha Habner, presidente da Comissão de Direitos da Família da OAB do Paraná.


Sabemos que a criança sempre vai amar o outro lado, seja o pai ou a mãe, e não cabe a nós definir se gostam deles ou não, pensa se fosse você do outro lado, se gostaria da tão falada alienação parental. 



Aqui no blog defendo muito e dou muitas dicas de como ser uma boa mãe, estou longe de ser a melhor mãe do mundo, mas acredito que começar a defendendo o bem-estar do seu filho, sem pensar em você já é uma boa solução.

E não se desespere, guarda compartilhada não significa perder a guarda do seu filho! Significa apenas dividir responsabilidades, não sejamos egoístas e permitamos isso, até porque muitas de nós muitas vezes reclamamos do quanto os pais (ou mães) abandonam os filhos.

Particularmente prezo mais pela presença do que pelo dinheiro. É o que faz a criança se sentir importante e ser uma criança mais motivada e feliz socialmente.

Tudo será estabelecido em juízo e você poderá conversar com seu advogado e a outra parte sobre a melhor forma PARA A CRIANÇA, mas lembre-se: uma boa conversa é sempre a melhor forma de se resolver litígios.



Com o pai da Lara discuti muito e muitas vezes, mas nunca na frente dela, e sempre prezando pelos interesses dela. Muitas vezes parece que de nada adianta os acordos de divisão de responsabilidades, mas ao menos eu posso cobrar de uma forma ou de outra.

A lei parece ser linda e influencia a ter mais responsabilidades, mas volto a dizer, o bom convívio depende do caráter dos pais e do pensamento voltado a criança. Então, não é uma lei que vai trazer maiores benefícios às crianças e sim a conscientização dos próprios pais. Espera-se que com essa oportunidade a visão seja ampliada de que pode haver uma boa forma para os filhos.






segunda-feira, 13 de junho de 2016

Melhor historia de amor

Não há palavras que definam a felicidade de contemplar seu sorriso todos os dias, de sonhar com você e acordar sendo você minha realidade. 

Não há como definir a maravilhosa experiência de amadurecer por alguém! 

Sabe aquela história de que quando amamos alguém de verdade mudamos por ela? Então, eu te amo de verdade, e de menina passei a mulher o mais rápido que esperei, vivi coisas que jamais sonhei; mas acima de tudo, descobri que o mundo é um lugar de imensas possibilidades e que quando temos um amor verdadeiro vamos até o fim dele para desvendar esses mistérios escondidos. 
O verdadeiro amor é aquele que sentimos sem nada cobrar, aquele pelo qual apenas amamos. Esse amor te pertence! 

Obrigada por ser o melhor dos meus dias e a força para todo o resto que vivo nessa vida. 





Esse texto foi escrito em homenagem ao 1 ano e 6 meses da Lara

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Look do dia

Bebês e o inverno  


Aqui estamos inciando e terminando os dias por volta dos sete graus, estou empacotando Lara de roupa... Me deu uma saudade dela pequenininha naqueles macacões de bebê, que resolvi postar algumas fotos da fofura.
No primeiro ano de vida dela o inverno nem foi tão rigoroso quanto está sendo agora, mas frio é frio né! E eu amo! 









Destaque do dia

FANTASIA DE CARNAVAL - "PRINCESA UNICÓRNIO"

Receba novas postagens por e-mail!

Posts Recentes