Pular para o conteúdo principal

Direitos da Gestante

Na semana da mulher vamos tematizar um pouco sobre nossos direitos de mulher, a começar pela gravidez.. Um momento que nos sentimos frágeis e muitas vezes aceitamos tudo, mas você tem direitos e vale a pena correr atrás deles. Nunca desista.






A começar pelo direito de PREFERÊNCIA em qualquer atendimento, que todas já sabemos, mas muitas vezes é desrespeitado. Essa garantia existe, pois a gestante é mais vulnerável aos acontecimentos, em um Ônibus, por exemplo, ela pode ter dificuldades para se manter em pé; em um banco a demora na fila de um banco, etc.. 
São os chamados direitos sociais. Garantidos pela Lei 10.048/2000








Há também o direito de estabilidade provisória no TRABALHO enquanto a mulher estiver gestante, mesmo que venha a descobrir da gravidez no período de aviso prévio, seja ele indenizado ou trabalhado. 
Seção V da CLT, explica todos os direitos garantidos a gestante trabalhadora, dentre os quais:

  •  o salário-maternidade, 
  • o aumento de mais duas semanas mediante atestado médico, 
  • dispensa do horário de trabalho para realizar as consultas médicas (no mínimo) e dos exames complementares - que muitas mulheres as vezes não sabem que tem direito de ausentar-se do trabalho por esse tempo sem descontos ou necessidade de pagar as horas. 
  • Nessa seção da CLT também estão previstos os direitos nos casos de mãe adotante
  • Os direitos do Pai quando há falecimento da mãe é de gozar do mesmo período da licença-maternidade pelo período que a mãe ainda teria.
  • Em caso de aborto legalizado a mulher tem direito a duas semanas de repouso.
  • Enquanto tiver amamentando até os seis meses de idade a trabalhadora tem direito a descanso de meia hora , por dois períodos (ela pode escolher e juntar esse período em uma única hora) a fim de amamentar o bebê. O lugar destinado a esse fim deve ser adequado, higiênico e possível.
  • O pai tem direito a licença paternidade de  dias logo após o nascimento do bebê



Quanto as consultas do pré- natal a fim de cuidar da sua SAÚDE  gestante tem os seguintes direitos, garantido pelo SUS:

  • Pelo menos seis consultas de pré natal
  • O cartão da gestante informando tudo o que acontece durante a gestação
  • Exames de sangue
  • Exames de urina
  • Preventivo de Colo de útero
  • Teste anti-HIV
  • Vacinas que estiverem faltando em seu cartão de vacinas e as de campanhas
  • Ultrassonografias pedidas pelo médico, principalmente as de acompanhamento trimestral
  • A mulher tem o direito de conhecer o local do parto antecipadamente (Lei 11.634/2007)

E os tão discutidos direitos do PARTO:
  • A mulher tem direito de SER OUVIDA EM SUAS QUEIXAS E RECLAMAÇÕES, SENTIMENTOS E SUAS REAÇÕES (princípio da dignidade humana!)
  • A mulher tem direito ao PARTO NORMAL Resolução Normativa 368 - ANS - A cesariana será feita em caso de risco para a mãe ou para o bebê a mãe tem o direito de ser informada sobre os motivos do procedimento.

  • A mulher tem direito a um acompanhante durante o pré-parto, o parto E o pós parto (Lei 11.108/2005)
  • A mãe tem direito de ficar junto com o filho logo após o parto Portaria 1016/1993 - É lei! Seu filho pode ficar com você logo após o parto se não oferecer nenhum risco de vida, sabemos o quanto a primeira hora é especial.



Sabemos o quanto esses momentos nos deixam frágeis e muitas vezes à abuso por parte das autoridades da Saúde, omissões, pequenas coisas que poderiam facilitar e melhorar esse lindo momento do nascimento de um filho, mas que acaba criando uma dor de cabeça por falta de respeito do próximo e também daqueles que deveriam ser seu apoio. Então, mesmo achando que "não vale a pena brigar" faça pelo seu bebê, seus direitos existem porque te dão dignidade como mãe e mulher; fará bem a você e a seu filho.


Por: Bruna Francine








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Polêmica do Feijão com a Beterraba!

Recebi de algumas mamães perguntas sobre um post que as mesmas leram na internet (Você Sabia que não pode cozinhar Feijão com Beterraba?), onde se dizia que não se pode cozinhar feijão juntamente com beterraba. Elas me procuraram, pois estavam preocupadas alegando que sempre fizeram isso achando que aumentariam o ferro na alimentação de seus pimpolhos, como percebi que surgiu muita dúvida sobre esse tema resolvi elaborar esse post para esclarecer uns pontos: 



✔Tanto o feijão quanto a beterraba são ótimos alimentos, portanto, a menos que você possua alguma intolerância ou simplesmente odeie esses alimentos, não os exclua de sua rotina alimentar pois eles são super nutritivos!
✔Esses dois alimentos são conhecidos por serem alimentos ricos em ferro, então porque não podemos consumi-los juntos? 

O feijão cozido com beterraba não seria um “super feijão”? 😎
Então não posso mais “comer” feijão junto com beterraba? 😱


🔝Pode! Pode! Pode! 



💡Mas vamos esclarecer: Você pode sim comer feijão junto …

O que aprendi com a fórmula infantil

Por Camila Teles,mãe da Beatriz, nutricionista.
"Beatriz está com 2 meses, a cerca de uma semana estava irritadiça e chorona a tardezinha, nada a satisfazia, e queria mamar de meia em meia hora. Também não estava dormindo bem a noite, ficava muito agitada e "resmungando" durante o sono.
Então, na consulta de rotina com a pediatra relatei esse ocorrido.
Eu já sentia e sabia o que estava por vir, talvez por ser nutricionista, talvez por um instinto maternal, mas antes de tomar a decisão final quis ouvir a opinião da pediatra.
E aí ela me pergunta: você sente suas mamas ficarem cheias?
Eu respondi: não sinto mais
Pronto, ali tive a confirmação de que era realidade aquilo que eu tinha certeza por ser nutricionista, mas não queria acreditar por ser mãe.
Em seguida a pediatra disse que iria avaliar a Bia pra ver o que faríamos e pra minha infelicidade ela havia perdido peso de duas semanas pra cá (não quis a pesar em casa nessa semana pois já imaginava isso).
Enfim a pediatr…

Postagens mais visitadas deste blog

Qual nosso valor? Qual o valor da mãe que há em você?

Estamos em crise  econômica e política. Brasil cada dia levanta mais um pouco da saia e vemos suas sujeiras.Empregos e ações caindo. Preços aumentando.

Sabemos o quanto isso é bom para os brasileiros, mas até nos recuperarmos dessa crise quem mais sofre? Quem tem filhos.

Não é fácil ser mãe e não ter dinheiro. Não poder fazer todas as vontades do filho dói demais!
Ontem eu não resisti. Foram muito dias recusando brinquedos e bolinhos no mercado. Já dei muito "não" e não consegui dar outro. Minhas filhas são extremamente compreensivas. O que dói mais ainda, porque é fácil dizer não para a criança que faz birra e se joga no chão. Mas dizer não para aqueles olhos brilhantes perguntando: "É caro mãe?" dói demais!

E eu me dei conta do meu valor como mãe. De ser forte. De ir contra meu ímpeto de comprar tudo. Porque muitas vezes não queremos criar seres consumistas mas em outras muitas vezes é por não ter dinheiro para comprar tudo que eles querem. De querer comprar tudo…