Siga-nos você também!

Repost: Nascimento do Jorge Davi

Hoje o céu está em festa porque há um pequeno que está completando seu 3º aninho, é especial para mim e merece um post no blog porque essa mamãe guerreira sempre me incentivou e nunca deixou de acreditar em mim, mesmo de longe. Somos amigas de mesma idade gestacional. Jorge Davi nasceu em 07/12 e a Lara um mês depois em 08/01. Tenho carinho imenso por essa mamãe, mesmo ela sendo uma amiga virtual e de tão longe. Tudo o que eu espero é um dia poder conhecê-la pra dar um grande abraço e dizer o quão importante é na minha vida pessoal, profissional, acadêmica e principalmente maternal.

Parabéns ao lindo da tia, guerreiro que como a Lara lutou pra viver desde cedo, e graças a Deus são nossas bençãos! Que venham muitos anos de muita sapequice e saúde! 

Pra quem não lembra da história comovente do nascimento do nosso príncipe aniversariante de hoje está aí o respot, vale muito a pena ler:


Depoimento da Mamãe Tay 

Após 6 anos de relacionamento, quase 1 ano separada, nós voltamos e resolvemos que no ano seguinte, depois do segundo semestre, ficaríamos grávidos, até porque todos esses anos eu tomava AC, tinha medo de parar e engravidar logo, e que a criança nascesse com algum tipo de deficiência, devido o AC. Passei 1 ano sem remédio,  e no ano seguinte, não foi no período planejado por nós, mas acredito que tudo acontece no momento certo, conforme os planos de Deus, e assim foi. Abril de 2014 a suspeita da gravidez, será que estou grávida?! Aí meu Deus!!!!! Passei uma semana pedindo para o pai do bebê comprar um teste de farmácia, pois não tinha coragem de ir eu mesma, rsrsrsrs, então na sexta-feira 12/04/2013, fiz o teste de farmácia, e logo apareceram as duas listrinhas, e uma mistura de sentimentos tomou conta de mim, felicidade, medo, ansiedade, nervosismo. E aí? (A pergunta do pai), eu mandei ele ler o resultado, dormi e nem conversamos, kkkkk. Levou o final de semana para nos acostumar, fiquei de fazer o exame de sangue (beta), a mamãe espalhou logo em casa, rsrsrs. O pai não queria que divulgasse, pois tinha receio de não dar certo, um casal de amigos tinha perdido seu primeiro bebe antes dos 3 meses, então ficou com medo que pudesse acontecer o mesmo com a gente. Então na segunda 15/04/2013, era o dia que estava voltando a trabalhar neste atual emprego, fui de manhã cedo com minha cunhada (Jéssica) fazer o exame. As 18:00hr, saímos do trabalho e fomos pegar o resultado, que eu já sabia que estava, mas era preciso uma confirmação. Então peguei resultado a moça disse que era positivo, abracei minha cunhada e disse, parabéns estás grávida kkkkk. Ela ficou tão nervosa, que quase não conseguia achar o caminho de volta para casa, estávamos de moto, liguei para minha mãe para confirmar ela já tinha certeza também, graças a Deus sempre tive o apoio da minha mãe, ela é minha base, falei pro David que só fez ficar mais nervoso, liguei pro meu pai, disse que precisava conversar com ele, mas ele estava sem tempo de ir em casa, como queria dá logo a noticia, falei por telefone mesmo, eu tive que repetir umas 4 vezes, porque acho que ele não queria ainda um netinho rsrsrs. Ele ficou decepcionado logo no inicio, sempre fui a filha que ele tanto quis, a princesa dele, porque eu era nova, tinha retornado ao meu antigo emprego, começado uma nova faculdade( contabilidade, abandonei após 1 semestre), e a notícia foi se espalhando. No dia seguinte contei para minha chefa e tudo foi acontecendo. Agora éramos dois, não tive enjoos, todos os dias me olhava no espelho para ver se já aparecia a barriguinha, ganhamos muitos presentes, fui muito paparicada. Desde que começamos a namorar já tínhamos escolhido o nome do nosso bebê, se chamaria Jorge Davi. Jorge, porque o pai é devoto do Santo São Jorge e Davi de David que é o pai. Eu sentia que era um menino, mas aí a dúvida, e se for menina? Comecei então a pensar em um nome para menina, escolhi Mariana (junção dos nomes das bisavós Maria & Ana). Eis que veio a confirmação, com 16 semanas e 3 dias, É um menino. Estava Eu, e Deus na ultrassom, não me contive de emoção, e comecei a chorar, para cada pessoa que ligava e dava a noticia, começava a chorar de emoção. Sempre fui muito emotiva, rsrsrs. Fiz dois baby chás, era tanta gente que queria que participasse desse momento tão importante em nossas vidas, após as comemorações, com 7 meses já estava até com as bolsas prontas, e arrumava, e desarrumava. Conheci as meninas do grupo virtual de mamães, foi uma grande ajuda, pois sendo mãe de primeira viajem sempre surge muitas dúvidas, tinham varias gravidinhas na época, Tamires, Ana Paula, Bruna (você) rsrs. Com 37 semanas o médico pediu para que eu me afastasse do trabalho, ficasse de repouso absoluto, precisa cortar o sal da comida 100%, estava muito inchada, retendo líquido, ficamos muito preocupados, mas graças a Deus antes do parto já estava tudo normalizado. Então na sexta dia 6/12/2013 por volta das 22:00h comecei sentir uma cólica, não consegui dormir, era da cama para o banheiro,e tomava banho, deitava e levantava, mas resolvi aguentar até amanhecer, para não ter que ser mandada voltar do hospital, 5:00h do dia 7/12/2013, chamei o David e minha mãe para irmos para o hospital, chegamos lá, 3 cm de dilação, com dor, mas toda feliz, pois era o dia que ia conhecer meu verdadeiro amor, logo mais tarde chegou minha cunhada com meu primo, ela que iria assistir o parto, pois o pai não pode ver sangue rsrsrs. E durante o dia as dores só aumentando, e vários telefonemas, mensagens de boas vibrações, e foi passando o dia, por volta de 13:00h as contrações ficaram de 5/5 minutos, e o medico sumiu, e apareceu horas depois dizendo que estava evoluindo muito bem, estava com fome, cede, ficando cansada, minha dilatação foi muitooo lenta, a última vez que o medico apareceu era umas 17h e pouco, dizendo que estava bem, que o outro médico que iria fazer meu parto, nossa, já não aguentava mais! O Dr que era pra chegar as 19;00 h, só apareceu 20:h e pouco, fez o toque e eu já não tinha mais nem forças, chegou me aplicar remédio para completar os 10cm de dilatação, eu estava com 9cm quando ele chegou, me levou imediatamente para o bloco cirúrgico, após fazer outro toque, percebeu que o bebê tinha feito mecônio(cocô), que teria que sair o mais rápido possível, ligou para o anestesista, e foi tentando o PN, foi um parto muito difícil, ainda levei aquele dolorido corte, minha cunhada estava lá, presenciou tudo, sofreu junto comigo, meus pais do lado de fora, junto com David. Nasceu Jorge Davi, às 21:00h, pesando 3,120kg, 51cm. Quase sem vida, roxinho, não pude carregar em meus braços, sentir seu cheiro, meu sonho era ter de recordação aquela primeira fotinho que a mãe bate logo após o nascimento com meu bebê no colo, a pediatra me mostrou rapidamente, e levou para fazer os procedimentos necessários, aspirar, limpar, levou para UTI, pois já estava quase sem respirar, tinha inalado e ingerido o tal mecônio. Minha cunhada ainda chegou bater uma fotinho dele onde a pediatra estava preparando para ir para UTI. E o choro era incontrolável, pois não tinha certeza alguma se meu filho sairia com vida de lá. No outro dia fui visitá-lo na UTI com pai dele, rezamos, cantamos, conversamos com ele, não conseguíamos ouvir seu choro, pois estava entubado, só víamos os movimentos dele chorando. O medico me deu alta, e eu não queria ter que ir embora e deixar meu bebê ali, foram 10 dias de UTI, no segundo dia, na hora da visita pela manhã, quando vi meu bebê com a cabeça toda enfaixado, entrei em desespero, MEU DEUS, O QUE FOI ISSO?! A enfermeira, calma mãezinha, é que ele está evoluindo, está com aparelho de oxigênio mais inferior do que estava usando ontem, essa faixa é só para segurar o aparelho, ufa, que alivio!!! E nesses 10 dias ele foi evoluindo cada vez mais, no 6 dia, carreguei pela primeira vez em meus braços, nossa, que emoção. O bom é que podíamos visitar de manhã e de tarde, no nono dia eu amamentei pela primeira vez, e no décimo dia, ganhou alta da UTI, mas tive que me internar junto com ele, pois precisaria terminar o antibiótico. E foram se passando os dias, eu pudia está ali ao seu lado, cuidando, babando, mas algo estava errado, os exames sempre dando alterados, uma horas eram as plaquetas muito alteradas, outra hora os exames acusavam uma bactéria, e meu bebe forte saudável, uma aflição, medo que realmente pegasse uma bactéria e não saísse com vida daquele hospital, todos os dias era furado, pois logo perdia o acesso, até embaixo das axila chegaram abrir, quando ainda estava na UTI. Então minhas chefas começaram a falar para minha cunhada que sempre ficava lá a noite comigo, quando não era ela, era minha mãe, que ele não tinha nada, começaram a pesquisar, suspeitar de que tinha algo de errado, teve um resultado de deu absurdamente alterado, o diretor chegou a ir falar comigo, pedir um crédito, que tinha havido um erro no resultado, começamos a fazer os exames particular, mas mesmo assim não dava normal, até que pedi muito a Deus que me mostrasse qual era o caminho que deveria seguir, continuar ali, expondo meu filho a pegar algo mais sério, ou tirar ele daquele ambiente????? Deus me orientou a sair com ele de lá, fizemos uma reunião, esse diretor mais uma equipe dele, minha cunhada, meus pais, o David, rápido o termo de responsabilidade apareceu, parece que estavam esperando eu tomar a decisão de sair, pois caso acontece algo, eles não queriam se responsabilizar, fomos  embora para casa no dia 27/12/2013, ainda chegamos passar o natal lá, foi triste por esta ali naquele ambiente, mas minha família estava ao meu lado, e meu bebê vivo. Quando chegamos em casa, o David começou a ficar nervoso, falou com uma amiga que é a melhor pediatra neo na cidade que ela mora (SANTARÉM), disse que estava fazendo uma loucura, tirar o bebê do hospital sem que os médicos dessem alta, mas eu estava confiante, ele ficou nervoso o tempo todo, medo de perder o nosso filho, na segunda –feira dia 30/12/2013, fizemos exame de sangue no Jorge Davi, a tarde o David foi pegar o resultado, e ???????????? TUDO NORMALLLLLL, Graças a Deus, meu bebê não tinha nada, devido a tantos remédios que ele tomava naquele hospital, e ainda fora de hora, vivia mudando, por isso dava alteração. Sou muito grata a Deus, me permitiu ser mãe, passamos por tantas dificuldades, mas hoje ele está com 2 anos e 2 meses, muito sapeca. Desde que me tornei mãe, tudo mudou em minha vida, antes me considerava egoísta, só pensava em mim, hoje penso primeiramente nele.


Primeira Foto


Saída da UTI





Volta da licença maternidade


Por:  Mamãe Taynnã Rodrigues da Silva

Comentários

  1. É sempre uma emoção quando releio esse relato, graças a Deus deu tudo certo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças a Deus! ❤🙏 Emocionante!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Jorge Davi nosso milagre, foram dias bem sofridos. Mas com a graça de Deus tudo ficou bem no final. Nosso Rei esbanja saúde e energia rsrsrs...Emoção tomou conta ao ler e reviver esses momentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own como é bom ter uma tia pra cuidar e amar assim! 👏❤ Parabéns! 😘

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Mais vistas...

TAG - Eu NUNCA

Porque comer legumes e verduras na gestação (e durante a amamentação)

Porque o Chá de calcinha (ou Chá de Desfralde) é uma bobagem

Já Curtiu Jovens Mães no Facebook?

Loucuras e realidades da maternidade. Siga a gente no Instagram!

Blogs que sigo