Siga-nos você também!

Depoimento da Mamãe Pamela Carolina da Silva

"Aos 15 anos estava para acontecer algo que mudaria não apenas a minha vida, mas também a da minha família. Eu, uma adolescente estudava e cuidava da casa para minha mãe trabalhar, comecei a jogar futebol e com isso fiz várias amizades. Em um determinado dia fui passar a tarde na casa de uma de minhas colegas, a mãe dela estava gravida no 8º mês de gestação eu fiquei encantada; conversava com a bebê, e passei a ir com mais frequência a casa dela, e aí chegou o grande dia 03.02.2009 Eloáh Dezirê  estava a caminho. Eu estava ansiosa mesmo ela não sendo nada minha; então ela nasceu cheia de saúde e vida, uma princesa. O tempo foi passando e eu estava sempre ali ao lado dela, adorava ouvir seu chorinho, levava para passear...

Em dezembro, de madrugada, recebi uma ligação da “mãe” da Eloáh pedindo para eu ir buscar ela, pois estava tendo uma festa na casa dela e a bebê estava chorando muito e incomodando eles, sem pensar duas vezes me vesti, acordei meu irmão e fomos buscar ela, peguei-a apenas e fui embora. Levei-a para minha casa a troquei e a fiz dormir. No dia seguinte não tínhamos nada de bebê em casa, pois estávamos todos grandes já. Então minha mãe e eu fomos à farmácia e compramos mamadeira, fralda, leite, e as vizinhas deram umas roupinhas para ela.

Sua “mãe” veio dois dias depois buscá-la, mais aí o amor já havia nascido dentro de todos nós; sempre ia em casa passar o dia e tudo mais, chegou a época do carnaval e sua “mãe” sempre gostou de sair curtir, você ficou em casa uma semana, o tempo foi passando e ela cada dia mais junto a nossa família. Chegou o dia em que ela visitava a família biológica, pois já estava morando comigo e minha família. Abri mão de baladas, “amigos” entre outras coisas, pois a partir do momento que ela entrou em minha vida passou a ser prioridade, e não me arrependo do que fiz faria tudo novamente.

E até hoje 2016, a 7 anos, tenho me dedicado a minha princesa, faço de tudo: educo, levo ao médico, levo para passear, levo a igreja dou opções de que caminho ela deve seguir, mas quando foi o tempo certo irá escolher. Passamos por altos e juntas isso fez com que as quedas fossem amortecidas, ela é dona de um olhar meigo, de uma pureza que quem conhece jamais esquece, um doce de menina que a cada dia que passa me enche de orgulho.

Por: Pamela Carolina da Silva





Pamela tem 21 anos e escolheu ser mãe puramente por amor!




Comentários

  1. Que história lindaaa!! Apaixonei!
    Já era mãe antes de saber...muito lindo. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me encanto sempre com essa história também. Há pessoas que nasceram para amar! ❤

      Excluir

Postar um comentário

Sua opinião é sempre importante! Deixe seu comentario e seu link que contribuiremos a visita de todos com prazer :)
Obrigada pela visita! *-*
Beijos

Mais vistas...

TAG - Eu NUNCA

Porque comer legumes e verduras na gestação (e durante a amamentação)

Porque o Chá de calcinha (ou Chá de Desfralde) é uma bobagem

Já Curtiu Jovens Mães no Facebook?

Loucuras e realidades da maternidade. Siga a gente no Instagram!

Blogs que sigo