sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Look do dia

Festa de Primavera

Hoje foi dia de festa na escolinha... e foi dia ir a caráter!  Primavera é a época das flores, da alegria! Lara foi de vestidinho branco e a vovó fez uns fuxicos para dar um charme.  Colocou uma fita com lindas flores amarelas.
Florzinha no sapatinho e na fita da cabeça!  E hoje nossa flor foi primaveril.

Minha flor que brotou sem ser semeada e que foi a melhor e o mais e belo presente que Deus me deu!

"Flores são o beijo da Terra pra nós.  Crianças são o beijo de Deus"

Por: Bruna Moreli.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Depoimento da Jovem Mãe Aline Bortoloto de Souza Viana

Meu depoimento sobre ser mãe jovem


Nossa tão novinha!
Deus me abençoou que nunca ouvi comentário pior que esse, mas sempre sinto olhares de desprezo, porém meus olhos nunca estiveram no rosto dessas pessoas. Quando sinto desprezo, olho para minhas filhas sorrio e beijo elas bem “amassadamente”. Faz esquecer.
Desafios? Isso sempre vai existir, não importa a idade da mãe. Filhos sempre são desafios, não importa a experiência que tenha em crianças, ou quantos filhos mais velhos tenha. Sempre, sempre vai haver desafios.
Desde pequena amava a idéia desse desafio, estudei, fiz curso técnico, tentei faculdade. Mas não sentia que fazia parte desse mundo, não queria. Mas tentei.
Não via a hora de ter minha prole, casei, terminei meus estudos, cursei vestibular, não passei, marido e eu conversamos muito e fiz um plano com Deus, era Julho se não engravidasse em 6 meses cursaria faculdade particular. Bom... Deus estava a favor dos meus planos depois de um ano e oito meses de anticoncepcional engravidei no primeiro mês.
Gravidez sadia, muita informação, não foi meu parto dos sonhos, uma recuperação horrível, cuidando de um RN cheio de cólicas, noite e dia de choro durante 3 meses, 1 ano sem dormir direito, uma quase depressão pós parto , não,  não foi fácil. Mas não foi horrível assim, tive muito amor, muito apoio do marido, da minha mãe, da família, assim como toda mãe. E a cada conquista dela, era milagroso, mexia comigo, uma força me cobria, me dava coragem de seguir sempre em frente e que tudo melhora com o tempo.
Filhos são bênçãos maravilhosas, tira o melhor de nós. Aprimora-nos, nos faz a ser humanos de verdade, a amar o próximo porque você sempre pensa “e se fosse meu filho?”.
Ser mãe jovem implica em uma única coisa: Falta de segurança, em si mesmo. Sempre estou pesquisando, me informando, querendo saber se estou no caminho certo, oro muito para Deus me guiar a levá-las ao caminho do bom caráter, de ser feliz e amar a Deus.
Sou mãe jovem há 3 anos e meio. Fiz 19 anos grávida, tenho 3 filhas sendo duas gêmeas. Sou mãe em período integral, faço as compras, cuido da parte financeira da família, lavo, passo, cozinho, faço bolos, bolhachinhas e bolinhos de chuva. Tenho vontade de ser diferente? Não! Amo minha vida! Gostaria de melhorar? Sim, quero ter minha própria renda, quero fazer algo que não esteja relacionado a casa, marido e filhas. Mas nunca é tarde para isso, pois ainda tenho 22 anos.



Aline Bortoloto de Souza Viana.


domingo, 20 de setembro de 2015

Lara - Daminha de honra ao 1 ano e 8 meses de idade!

Simplesmente emocionante...








Tudo que um filho faz para nós mães é lindo! 
Mas essa Lara me surpreende a cada dia e a cada tentativa de incentivá-la em algo legal. Eu sempre quis ser "noivinha" mas nunca me chamaram, e Lara, já tão novinha foi prestigiada com essa honra, lógico que permiti, pra mim toda oportunidade que ela tiver darei a ela, seja do que for. Se ela gostar, ótimo, se ela não gostar, valeu a tentativa.

Ah! Mas quando vi aquela minha bebê já grande, andando no tapete vermelho de chupeta na boca, não tive como não me emocionar, ela foi simplesmente linda, o jeitinho de bebê tornou especial apesar das coisas não terem saído como planejado; e a música! Uma das mais lindas que já ouvi! Amo muito! Arrepiei-me, senti orgulho, um orgulho bom, uma coisa que mães sentem quando seus filhos se saem bem em algo; o mérito é todo dela, mas eu aqui, nos bastidores estarei sempre torcendo por cada passo e cada conquista dela, seja da forma que for!

Assistam aqui o vídeo da Lara entrando na Igreja, sozinha, de daminha. 









Agradeço a minha mãe que ficou com ela no fundo da Igreja para que ela não me visse (achamos que se ela ficasse comigo ela não iria querer desgrudar); à equipe de cerimonialista, responsável por toda a organização, que foi paciente e esteve junto dela. Isso foi importante pra que ela soubesse onde ir e a quem seguir. 


Texto de: Bruna Francine


Créditos e Agradecimentos: Patrícia Bíscaro e Renan Bonfá (noivos); Filó Cerimonial; Elaine Marques e José Xavier (Músicos)

terça-feira, 8 de setembro de 2015

33 semanas e 3 dias

Pensamentos da mamãe


O que faz uma pessoa ser alguém na vida não é a capacidade, e sim a vontade de ir além. A capacidade só adianta pra quem tem coragem, porque sem coragem de nada adiantaria a capacidade. Hoje sei que a minha maior capacidade é a coragem de acreditar que posso enfrentar qualquer coisa independente dos obstáculos que apareçam, não porque sou alguém que supera facilmente as dificuldades, porque também choro a cada desmotivação, também sofro e muitas vezes penso em desistir, mas lembro que só fracassa quem não tenta, só não chora quem não luta, e que obstáculos não foram feitos para serem superados, e sim para serem contornados, porque eles não vão deixar de existir, mas simplesmente ficarão para trás, para que lá na frente você lembre do que foi capaz.




33 semanas de gestação hoje sendo completadas e a ansiedade de ter a Lara nos meus braços está cada vez maior e o fim do ano está me degastando bastante. Mas a última coisa que eu faria seria desistir. Antes das festas de fim de ano, ainda tenho mais uns dias de trabalho, uma uma prova a ser feita, mais algumas coisas dela para arrumar, sabendo que agora ainda tenho que conviver com algumas limitações físicas que o fim da gravidez impõe. Mas mesmo assim estou confiante que conseguirei realizar todos os meus planos (inclusive dançar). Isso por mim e pela Lara. Porque só chega além quem é capaz de caminhar, não importa com que frequência conseguimos andar, o importante é não parar!


Por: Bruna Moreli

sábado, 5 de setembro de 2015

Chá de Bebê

Meu primeiro chá de bebê - Surpresa!


Se tem uma coisa boa na gravidez são essas surpresas maravilhosas, esse carinho que todo mundo tem pela gente, o cuidado especial, e quando jovens então?! Todo mundo acha que não sabemos nada e querem ajudar, dando mil e uma dicas, muitas que discordamos e etc.. tem mãezinhas que preferem ficar na sua, não ouvir, acham chato.. mas eu ouvia todas! Adorava ouvir história da gravidez de todo mundo - é incrível como quando uma grávida chega num lugar, todo mundo de repente tem histórias de bebê pra contar. Uma das minhas rotinas era pegar ônibus para o trabalho todos os dias; e eram pessoas tão especiais que pegavam comigo que foi inesquecível tudo. Um dia entrei, cumprimentei as meninas que já vinham  e quando chegou "a última" elas fizeram uma festa!! Tinha bexiga, salgadinho e tudo mais! E começaram a me dar presentes, me vendaram para que eu adivinhasse cada um deles, foi tão fofo e tão gostoso...
Depois vi que teve até convite, lembrancinha (um pirulitão colorido), e presentes embaladinhos com tanto carinho.
Apesar dos medos e incertezas da gravidez na adolescência é tão bom receber carinho, nos sentimos importantes, amadurecemos, conhecemos novas pessoas; uma experiência que só a maternidade poderia gerar, coisa que fazem com que nos valorizemos como menina-mulher!
Sempre serei grata a todas vocês meninas que me compreenderam todas as vezes que tive meus enjoos no ônibus (que foram muitos - Leia sobre minha experiência de como lidei com eles).
E a Deus por me dar força e oportunidade de levar adiante uma gravidez tão inesperada e tão bem aproveitada!
Lara, você foi desde sempre meu amadurecimento e minha maior alegria e força de viver!





Por:Bruna Moreli


terça-feira, 1 de setembro de 2015

Dia da Bailarina -1° de setembro

Como conciliar...

Se tem uma coisa que a maternidade me ensinou é que podemos fazer tudo, desde que nos organizemos.
Então, posso dançar sem deixar a maternidade de lado.. Tudo bem, nunca mais ensaiarei como antes e não chegarei perto de ser uma grande bailarina, porque pra isso exige ensaio, muito ensaio, e apesar de amar muito, a maternidade faz com que, além de gostar da dança, amemos mais nosso pequeno ser. Conciliar é muitas vezes incluir o bebê na nossa rotina, sem deixar de tornar algo divertido. Nada tem que ser forçado, se ela não gostasse, claro, não exigiria que dançasse comigo. Mas quando tentei a primeira vez e vi o quanto ela se divertiu continuei incentivando, sempre na medida dela.
Acho legal pais que incluem filhos nas suas atividades, sem forçá-los.
Lara ama cada vez que faço ballet com ela (blé como ela diz) já cheguei a levá-la na aula e ficou tao boazinha... Tentando imitar tudo.
Segue as fotos e vídeos de quando dançamos juntas.


Ainda na gestação eu dancei com Lara às 24 semanas, assistam ao vídeo.


Show de talentos. Lara com 9 meses. 


Apresentacao de fim de ano. Lara com 11 meses




Festival de Inverno - Lara com  1 ano e 6 meses







Por: Bruna Moreli

Destaque do dia

Ser mãe

Receba novas postagens por e-mail!

Posts Recentes

Já Curtiu Jovens Mães no Facebook?